Brasil

Após indiciamento, Bolsonaro é aplaudido em evento conservador ao dizer estar pronto para sabatina

Sem citar caso das joias, ex-presidente citou ‘questões que atrapalham’ e criticou a imprensa

Jair Bolsonaro: ex-presidente participou neste sábado abertura da Conferência de Ação Política Conservadora ( Mauro Pimentel/AFP)

Jair Bolsonaro: ex-presidente participou neste sábado abertura da Conferência de Ação Política Conservadora ( Mauro Pimentel/AFP)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 6 de julho de 2024 às 14h27.

Última atualização em 6 de julho de 2024 às 14h28.

Tudo sobreJair Bolsonaro
Saiba mais

O ex-presidente Jair Bolsonaro afirmou, durante a abertura da Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC), que está “pronto para ser sabatinado sobre qualquer assunto por duas horas” um dia após ser indiciado pela Polícia Federal no caso das joias. O evento reúne expoentes da extrema-direita em Balneário Camboriú (SC) neste fim de semana.

Em sua fala, Bolsonaro falou que “tem questões que atrapalham” e que não tem “ambição pelo poder”, e criticou a imprensa dizendo estar à disposição para ser sabatinado sobre qualquer assunto.

"Não tenho ambição pelo poder, eu tenho é uma obsessão pelo nosso Brasil. Que pesem quaisquer outras questões que nos atrapalham, eu termino aqui sem falar nome, mas a imprensa que me critica, aquela grande imprensa, estou a disposição de vocês para duas horas, ao vivo, ser sapatinho sobre qualquer coisa. Se acham que vão me desgastar, As mídias sociais nos deram a liberdade. Por isso querem censurar. Estou a disposição por duas horas para discutir sobre tudo, qualquer assunto, ao vivo, sem manipulações e sem edições", afirmou.

Milei é esperado no evento

Ao fim de seu discurso, ele foi aplaudido com gritos de “volta, Bolsonaro”. O CPAC Brasil é organizado pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP), e receberá também o presidente da Argentina, Javier Milei, e o líder do Partido Republicano do Chile, José Antonio Kast, que devem discursar neste domingo. Os dois são apoiadores de Bolsonaro e críticos ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O petista, que tinha previsão de ir ao estado no mesmo fim de semana, adiou a ida durante a semana.

A presença de Milei no congresso conservador criou uma crise diplomática, já que o argentino não se encontrará com Lula durante a visita ao Brasil. O presidente da Argentina deve chegar a Balneário Camboriú na noite deste sábado, e será realizado um jantar em sua homenagem. A cidade deu mais de 74% dos votos no segundo turno das eleições de 2022 a Bolsonaro contra Lula no município.

O evento começou na manhã deste sábado e lota o centro de exposições de Balneário Camboriú. O início do congresso foi marcado por desorganização e longas filas, e dos presentes carregavam bandeiras do Brasil e vestiam camiseta verde e amarela, sob casacos grossos, já que neste sábado o clima foi de chuva e frio o dia inteiro.

Além de Bolsonaro, também dicursaram o ex-ministro Onyx Lorenzoni, a deputada federal Bia Kicis (PL-DF), a ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro, o secretário de Segurança Pública de São Paulo, Guilherme Derrite (PL), além de vereadores e o prefeito de Balneário Camboriú, Fabrício Oliveira.

Acompanhe tudo sobre:Jair BolsonaroJavier Milei

Mais de Brasil

Incidentes cibernéticos em sistemas do governo dobraram no primeiro semestre de 2024

Citada por Janja, entenda o que é 'pobreza energética' e sua relação com a fome

Geadas podem atingir Sudeste e Sul, e baixa umidade atua em 18 estados; veja previsão

Nevoeiro marítimo fecha portos e aeroportos em Santa Catarina

Mais na Exame