ANP aponta produção de petróleo no país no mesmo nível de 2009

A produção de petróleo no Brasil em outubro foi de cerca de 1,998 milhão de barris por dia, estável em relação a setembro deste ano

Rio de Janeiro – A produção de petróleo no Brasil em outubro foi de cerca de 1,998 milhão de barris por dia, estável em relação a setembro deste ano e aumento de apenas 0,36 por cento em relação a outubro de 2009, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis.

O volume produzido de petróleo em outubro coloca o país no nível de um ano atrás, quando a Petrobras produzia 1,990 milhão de barris por dia de petróleo e as empresas privadas tinham produção menor do que os 166 mil produzidos atualmente.

Segundo comunicado divulgado na noite de segunda-feira pela ANP, a região do pré-sal teve queda de 13,7 por cento na produção do mês passado, atingindo 43.978 b/d de petróleo e 1,607 milhão de metros cúbicos/d de gás natural.

Procurada pela Reuters, a Petrobras não soube informar imediatamente o motivo da queda na produção dos campos do pré-sal.

A ANP considera apenas o volume de produção nos campos operados por empresa, e não a participação das mesmas nos blocos.

O Rio de Janeiro continua sendo o maior Estado produtor de petróleo, com 1,555 milhão de b/d, ou 77,9 por cento do total, seguido do Espírito Santo e Bahia, com 233,2 mil b/d e 45,9 mil b/d, respectivamente. São também Estados produtores, em volumes menores, Amazonas, Rio Grande do Norte, Sergipe, São Paulo, Alagoas e Ceará. Juntos esses Estados somam 163,3 mil b/d.

A Petrobras é líder absoluta a produção do país, com 1,824 milhão de b/d de petróleo em outubro. Em segundo lugar está a Shell, com 93,2 mil b/d e a Chevron Frade, com 50,8 mil b/d. A Devon registrou em outubro produção de 26,6 mil b/d.

De acordo com a ANP, o campo de Roncador foi o maior produtor de petróleo e o campo de Manati, o maior produtor de gás natural, ambos da Petrobras.

Gás Recorde

Ao contrário do petróleo, a produção de gás natural foi recorde em outubro, atingindo 65 milhões de metros cúbicos diários, mês em que também foi registrada a menor queima de gás desde abril 2008. A queda na queima foi de 33,7 por cento se comparada a outubro de 2009 e de 16,2 por cento em relação ao mês anterior. As empresas precisam queimar o gás associado à produção de petróleo quando não conseguem retirar o combustível do campo de produção.

“Destaca-se, pelo segundo mês consecutivo, o recorde na produção de gás natural em concomitância com o menor nível de queima (5,495 milhões de metros cúbicos) desde abril de 2008, quando o volume de gás natural queimado foi de 4,706 milhões de metros cúbicos por dia”, ressaltou a ANP em nota.

A agência reguladora informou ainda que no mês de outubro o país tinha 294 concessões operadas por 23 empresas. Dos 20 maiores campos produtores, três são operados por empresas estrangeiras: Ostra/Shell, Frade/Chevron e Polvo/Devon.

A plataforma em operação com maior produção em outubro, segundo a ANP, foi a P-52, pelo segundo mês consecutivo, instalada no campo de Roncador, que teve aumento de 6 por cento em relação à produção de setembro e atingiu 159.639 mil b/d.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.