• AALR3 R$ 20,34 1.40
  • AAPL34 R$ 67,96 -2.78
  • ABCB4 R$ 17,36 4.52
  • ABEV3 R$ 14,11 -0.77
  • AERI3 R$ 3,72 -1.59
  • AESB3 R$ 10,75 0.66
  • AGRO3 R$ 30,95 1.08
  • ALPA4 R$ 20,84 -0.48
  • ALSO3 R$ 19,10 -1.29
  • ALUP11 R$ 26,71 1.17
  • AMAR3 R$ 2,45 4.26
  • AMBP3 R$ 30,53 -2.12
  • AMER3 R$ 23,10 0.65
  • AMZO34 R$ 67,45 -0.34
  • ANIM3 R$ 5,50 -0.72
  • ARZZ3 R$ 81,36 -0.60
  • ASAI3 R$ 15,39 -0.06
  • AZUL4 R$ 21,23 0.00
  • B3SA3 R$ 11,82 2.34
  • BBAS3 R$ 35,68 -0.64
  • AALR3 R$ 20,34 1.40
  • AAPL34 R$ 67,96 -2.78
  • ABCB4 R$ 17,36 4.52
  • ABEV3 R$ 14,11 -0.77
  • AERI3 R$ 3,72 -1.59
  • AESB3 R$ 10,75 0.66
  • AGRO3 R$ 30,95 1.08
  • ALPA4 R$ 20,84 -0.48
  • ALSO3 R$ 19,10 -1.29
  • ALUP11 R$ 26,71 1.17
  • AMAR3 R$ 2,45 4.26
  • AMBP3 R$ 30,53 -2.12
  • AMER3 R$ 23,10 0.65
  • AMZO34 R$ 67,45 -0.34
  • ANIM3 R$ 5,50 -0.72
  • ARZZ3 R$ 81,36 -0.60
  • ASAI3 R$ 15,39 -0.06
  • AZUL4 R$ 21,23 0.00
  • B3SA3 R$ 11,82 2.34
  • BBAS3 R$ 35,68 -0.64
Abra sua conta no BTG

Alvaro Dias e Rabello prometem ficar sem salário até déficit público zerar

Rabello também disse que Alvaro Dias garante a criação de 10 milhões de empregos com crescimento de 5% do PIB
 (VEJA/Antonio Milena)
(VEJA/Antonio Milena)
Por Luiza CalegariPublicado em 04/09/2018 16:50 | Última atualização em 04/09/2018 16:53Tempo de Leitura: 1 min de leitura

São Paulo — O ex-presidente do BNDES na gestão Temer e candidato a vice na chapa de Alvaro Dias, Paulo Rabello de Castro, prometeu que ambos irão ficar sem receber salário até que o Brasil zere seu déficit primário.

A promessa foi feita no fim do debate promovido por VEJA entre os candidatos a vice-presidência. O deficit público autorizado para este ano é de 161,3 bilhões de reais.

Além de prometer cortar os próprios salários, Rabello afirmou que o plano do governo Alvaro Dias é garantir a criação de 10 milhões de empregos com crescimento de 5% do PIB (Produto Interno Bruto).

Outros candidatos a vice também participaram do debate: Ana Amélia (PP), vice de Geraldo Alckmin; general Mourão, vice de Jair Bolsonaro; e Eduardo Jorge, vice de Marina Silva.

Eles debateram temas como o incentivo à cultura, a situação dos presídios, a crise dos refugiados em Roraima e a política externa brasileira.