100 dias de quarentena: RJ abre bares e SP passa a multar os sem-máscara

Em SP, quem não usar máscara será multado a partir desta quinta-feira, 2, em meio à reabertura do estado. No RJ, começa uma nova fase de flexibilização

Para quem perdeu a noção do tempo durante o isolamento social, um lembrete: a quarentena passou de 100 dias nesta semana em São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal e em uma série de outras regiões brasileiras que começaram a fechar as atividades no fim de março. Nesta quinta-feira, 2, mesmo com o número de casos e óbitos nos estados ainda avançando, começam novas regras em meio à tentativa de retomada dos estados — com máscaras gerando multa em SP e nova fase de reabertura no Rio.

No estado do Rio, que passou dos 10.000 mortos na quarta-feira, 1, já houve relaxamento de várias restrições. Agora, a fase três da flexibilização começa na capital a partir desta quinta-feira, 2.

Ela inclui a abertura das academias de ginástica, desde que com agendamento e regras de distanciamento maior que seis metros. Bares e restaurantes também passam a poder abrir até no máximo às 23 horas, com metade da capacidade e distanciamento de dois metros entre as mesas.

Já o estado de São Paulo passou das 15.000 mortes ontem. O governador João Doria disse que o estado se aproxima de um “platô“. Há uma tendência de estabilização na capital, mas piora no interior. Em junho, o número de casos no interior triplicou e quase dobrou na capital.

As regiões estão em estágios diferentes da reabertura, baseados em critérios como lotação de UTI e novos casos, e algumas no interior, inclusive precisaram retroceder. Na capital, a expectativa é que bares e restaurantes sejam abertos ao público a partir da próxima semana, mas a decisão ainda não foi confirmada pela Prefeitura.

O que passa a valer já nesta quinta-feira, 2, em todos os municípios paulistas é a multa de 500 reais para quem estiver sem máscara em locais públicos. Para o estabelecimentos, a multa é de 5.000 reais a cada cliente que não aceitar respeitar a regra.

A multa será aplicada pela Vigilância Sanitária e, segundo o governo do Estado, não tem objetivo de arrecadar, e sim de reforçar a adesão à medida mais simples (e barata) de contenção da pandemia. Afinal, ninguém quer mais 100 dias de quarentena.

Você já leu todo conteúdo gratuito deste mês.

Assine e tenha o melhor conteúdo do seu dia, talvez o único que você precise.

Já é assinante? Entre aqui.

Deseja assinar e ter acesso ilimitado?

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.