Xiaomi expande operação no Brasil e anuncia cinco novas lojas

A empresa chinesa já lançou cerca de 500 produtos no Brasil, entre eles, mais de 30 smartphones
Xiaomi: empresa lançou mais de 30 smartphones no Brasil em dois anos de presença no país (SOPA Images / Colaborador/Getty Images)
Xiaomi: empresa lançou mais de 30 smartphones no Brasil em dois anos de presença no país (SOPA Images / Colaborador/Getty Images)
Por Lucas AgrelaPublicado em 17/08/2021 13:36 | Última atualização em 18/08/2021 10:22Tempo de Leitura: 3 min de leitura

A chinesa Xiaomi aumentou a sua aposta no mercado brasileiro ao anunciar a abertura de cinco novas lojas no país até o fim do ano. A empresa, que já tem uma loja em São Paulo, terá agora duas novas unidades no Rio de Janeiro (entre setembro e novembro, no BarraShopping e no ParkJacarepaguá), uma em Curitiba (Park Shopping Barigui), uma em Salvador (Salvador Shopping) e mais uma em São Paulo (Morumbi Shopping, em outubro). Em Campinas, no Parque D. Pedro, a empresa se aliou a FastShop para criação de um espaço exclusivo para experimentação de seus produtos.

A Xiaomi voltou há dois anos, em uma segunda empreitada no país, desta vez com parceria com a companhia mineira DL. A brasileira ajudou a levar os produtos da Xiaomi a mais de 7 mil pontos de vendas no país. Desde então, foram lançados mais de 500 produtos, sendo mais de 30 smartphones.

Com as lojas, a empresa almeja não só ampliar a sua presença no mercado de smartphones, como também aumentar o reconhecimento de dispositivos do seu ecossistema de internet das coisas. "Queremos oferecer a experiência dos produtos da Xiaomi aos consumidores para que eles possam entender como eles podem ajudar em suas rotinas", afirma Luciano Barbosa, chefe da operação da Xiaomi no Brasil.

Apesar da expansão da área de vendas da Xiaomi, ainda não há uma previsão de fabricação local de eletrônicos, como fazem concorrentes, em busca de oferecer preços mais competitivos no mercado. Entretanto, a companhia confirma a existência do plano da fabricação local no futuro.

Recentemente, a Xiaomi ultrapassou a Apple no ranking global de vendas do segundo trimestre deste ano e agora ocupa a segunda posição no mercado, atrás apenas da sul-coreana Samsung, segundo dados da consultoria Canalys. Além disso, a empresa lançou globalmente o Mi Mix 4, a quarta versão do seu smartphone que tem a câmera sob a tela, uma abordagem que visa aumentar o aproveitamento da área frontal do aparelho. No Brasil e no mundo, a Xiaomi vem apostando em dispositivos de internet das coisas, como balanças, escova de dentes e relógios conectados à internet e ao seus aplicativos. No mundo, atualmente, a empresa tem 350 milhões de dispositivos inteligentes ativos.

Como o novo iPhone e o leilão do 5G afetam a bolsa? Entenda assinando a EXAME