Tecnologia

Veja se seus dados do iTunes estão nas mãos dos hackers

O grupo hacker AntiSec divulgou, nesta manhã, informações de 1 milhão de usuários de iPhone, iPad e iPod touch. Descubra se você é um deles


	O AntiSec, um grupo ligado ao Anonymous, diz ter obtido dados de 12 milhões de usuários de produtos Apple ao invadir um computador do FBI
 (Anonymous / Wikimedia Commons)

O AntiSec, um grupo ligado ao Anonymous, diz ter obtido dados de 12 milhões de usuários de produtos Apple ao invadir um computador do FBI (Anonymous / Wikimedia Commons)

Maurício Grego

Maurício Grego

Publicado em 5 de setembro de 2012 às 10h29.

São Paulo — O grupo hacker AntiSec divulgou, na manhã de terça-feira, que conseguiu roubar, do FBI, identificações de aparelhos e dados pessoais de 12 milhões de usuários de produtos da Apple. Para comprovar que tem mesmo as informações, os hackers publicaram dados de cerca de 1 milhão de usuários. Se você tem um iPhone, iPad ou iPod touch, veja como verificar se seus dados estão nessa amostra.

O site The Next Web desenvolveu uma ferramenta online para essa verificação. Para usá-la, o primeiro passo é descobrir o UDID, o código que identifica o dispositivo. Conecte o iPhone, iPad ou iPod touch ao computador por meio do cabo USB. Abra o iTunes. O dispositivo conectado deve aparecer na coluna esquerda. Clique nele.

No painel principal do iTunes, clique sobre a expressão “Número de série”. O UDID vai ser exibido nesse local. Copie-o teclando Ctrl+C (no Windows) ou Command+C (no Mac). Depois, é só ir até o site The Next Web e colar parte da sequência de caracteres no campo onde está escrito “Paste your UDID here” (tecle Ctrl+V ou Command+V). Basta, então, clicar em Check e ver o resultado no quadro verde.

Os hackers do AntiSec não disseram se obtiveram também as senhas dos usuários. É possível que não. Mesmo assim, se você estiver entre as pessoas que tiveram seus dados publicados, convém, por precaução, trocar a senha do iTunes. Infelizmente, não há como saber se seu nome está entre os 11 milhões de outros que o AntiSec supostamente possui e não divulgou. 

Atualização (5/set - 10:27): como observou o leitor Bruno Moreira Villar num comentário sobre esta matéria, o acesso ao The Next Web não é criptografado. Assim, para não expor o UDID ao fazer a verificação, é melhor inserir apenas parte do código na página.

Acompanhe tudo sobre:AppleCelularescrimes-digitaisHackersiOSiPadiPhoneiPodiTunesPrivacidadeseguranca-digitalSmartphonesTablets

Mais de Tecnologia

TikTok impulsiona crescimento da cultura sul-coreana e alcança R$ 777 bilhões

Google deve comprar empresa de cibersegurança por US$ 23 bilhões, diz WSJ

Motorola Moto G24 vale a pena? Veja preço, detalhes e ficha técnica

Samsung Galaxy A54 é bom? Veja preço, detalhes e ficha técnica

Mais na Exame