Penetração de smartphones na classe A é de 26%, diz estudo

A classe C, por sua vez, saiu de 8% de penetração para 17% no ano passado. A classe D/E também passou aos dois dígitos: de 5% para 12%

São Paulo - De acordo com o estudo ComTech, realizado pela Kantar Worldpanel e divulgado nesta segunda-feira, 24, as vendas de smartphones do Brasil cresceram 101% em 2013 na comparação com o ano anterior. Com isso, aumentou a penetração desse tipo de dispositivo no país entre todas as classes sociais.

O levantamento, resultado de entrevista com 24 mil pessoas no Brasil, aponta para um crescimento maior entre os consumidores da classe A, na qual esse tipo de aparelho chegou a ter penetração de 26%, contra 16% em 2012. A classe C, por sua vez, saiu de 8% de penetração para 17% no ano passado. A classe D/E também passou aos dois dígitos: de 5% para 12%.

Segundo a Kantar, a penetração de smartphones no país em 2013 era de 18% em relação à população total. A assessoria de comunicação da empresa afirma que não é possível comparar os números com os de outros levantamentos porque a metodologia de pesquisa do ComTech conta com todos os indivíduos em cada residência, o que resultaria em uma porcentagem diferente.

Entretanto, vale ressaltar que, segundo estudo do Ibope Inteligência e a Worldwide Independent Network of Market Research (WIN), a taxa de penetração de 18% dos aparelhos no País aconteceu já em 2012.

Por sua vez, com base em dados de junho de 2013, o Índice Qualcomm da Sociedade da Inovação (QuISI) estima que o Brasil tinha penetração de 24% sobre a população total do País.

A Kantar não divulgou valores absolutos, mas é possível que a base brasileira de smartphones tenha passado das 50 milhões de unidades em dezembro. Isso porque, segundo o QuISI, em junho já havia 47,8 milhões desses dispositivos no País.

Telas maiores

A Kantar diz que o tamanho das telas dos smartphones tem influenciado a decisão de compra do consumidor brasileiro. A pesquisa afirma que 58% dos entrevistados já procuram por celular com tela de 5 polegadas ou mais, enquanto 32% preferem que o tamanho do display seja entre 4,5 polegadas ou 4,9 polegadas. Já para 31%, um handset com tela de 4 polegadas a 4,4 polegadas seria o suficiente.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.