Quanto custa assinar todos os principais serviços de streaming do mercado?

Com tantas opções, parece que a guerra do streaming traz a certeza de longas batalhas. Veja qual cabe melhor em seu bolso
O Gambito da Rainha: nova série da Netflix ganhou o coração dos fãs (Netflix/Reprodução)
O Gambito da Rainha: nova série da Netflix ganhou o coração dos fãs (Netflix/Reprodução)
T
Tamires Vitorio

Publicado em 14/11/2020 às 08:00.

Última atualização em 22/12/2020 às 14:53.

Este ano pode ser considerado com o maior ano do streaming. Com a pandemia do novo coronavírus, as plataformas de vídeo pela internet tornaram-se uma opção de lazer bastante procurada em tempos de quarentena. Veja quanto custa assinar apenas um ou todos os principais streamings do mercado e disponíveis no Brasil.

Aprenda a investir melhor para assinar vários streamings. Conheça a Estratégia IronCaps

Quanto custa a assinatura dos principais streamings disponíveis no Brasil:

Em uma simulação que leva em conta a contratação dos serviços em seus planos mais básicos aponta que o valor mensal da assinatura ficaria em R$ 152,12. O preço pode chegar ainda a custar R$ 272,72 com a contratação também de serviços como Telecine Play (R$ 37,90), Oldflix (R$ 12,90), Mubi (R$ 27,90), Chunchyroll (R$ 25,00) e Locke (R$ 16,90). No caso de assinaturas mais caras dos mesmos serviços, o valor salta para R$ 309,72.

Setor aquecido

Com tantas opções, parece que a guerra do streaming traz a certeza de longas batalhas. O lançamento do Disney+ no Brasil, em novembro, trouxe mais uma opção de entretenimento aos usuários e acirrou ainda mais a disputa do setor. Para Bill Demas, presidente da consultoria Conviva, o usuário não escolhe uma assinatura em detrimento de outra.

Nos Estados Unidos, cerca de 20% dos assinantes de serviços de streaming assinam somente uma plataforma, enquanto 64% assinam entre duas e três e 12% entre quatro e seis, de acordo com a consultoria KPMG. O mesmo deve acontecer no Brasil. “Os serviços de streaming são colocados um contra o outro, mas a televisão que é a grande perdedora nessa guerra”, diz o especialista.

A entrada das emissoras de TV no streaming é uma mudança urgente para o setor audiovisual brasileiro. A receita da TV paga tem caído nos últimos anos. Em 2019, o valor líquido foi de 18,6 bilhões de reais, queda de 11,3% em dois anos.

Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações, o número de assinantes de TV por assinatura chegou a 15,1 milhões em julho, o nível mais baixo desde setembro de 2012. No mundo, o cenário é parecido.

Enquanto a TV por assinatura mantém o patamar de 1 bilhão de assinantes desde 2016, o número de consumidores do streaming cresce em ritmo acelerado e deve atingir 800 milhões neste ano, segundo a consultoria britânica Digital TV Research.

*Esta reportagem foi atualizada no dia 22/12 para incluir novos serviços streamings na conta e atualizar o preço dos serviços já mencionados anteriormente