Joe Rogan recebe proposta de US$ 100 mi de plataforma conservadora

Dono de um dos podcasts mais populares do Spotify foi alvo de críticas por conta da veiculação de desinformação sobre a covid-19; usuários e artistas pediram para a plataforma remover o conteúdo de Rogan
 (AFP/AFP)
(AFP/AFP)
R
Reuters

Publicado em 07/02/2022 às 16:51.

Última atualização em 07/02/2022 às 19:34.

O Rumble Inc, um website semelhante ao YouTube popular entre os conservadores americanos, ofereceu ao apresentador Joe Rogan US$ 100 milhões ao longo de quatro anos por todos os seus programas, dias após o podcaster se desculpar pelo uso de termos racistas em seu conteúdo.

Rogan também enfrenta repercussões por conta da veiculação de desinformação sobre a covid-19 em seu programa, hospedado pelo Spotify, após compositores como Neil Young e Joni Mitchell retirarem seus conteúdos da plataforma de streaming.

Os incidentes levaram o Spotify a acrescentar um aviso de conteúdo sobre qualquer episódio que apresente discussões sobre a covid-19, enquanto cientistas e profissionais médicos exigem que a plataforma impeça Rogan de espalhar falsidades.

"Caro Joe, nós estamos com você, seus convidados e sua legião de fãs que querem conversas reais", afirmou o CEO do Rumble, Chris Pavlovski, em um e-mail direcionado a Rogan e publicado na página do Rumble no Twitter na segunda-feira.

"Que tal trazer todos os seus programas para o Rumble, tanto os antigos quanto os novos, sem censura, por US$ 100 milhões ao longo de quatro anos?"

Rogan não respondeu imediatamente a um pedido da Reuters para comentar o assunto.

Seu programa The Joe Rogan Experience, se tornou um dos podcasts mais populares do Spotify após a plataforma de streaming apresentá-lo em 2020. O Wall Street Journal reportou que o acordo de licenciamento com o Spotify pelo programa era de mais de US$ 100 milhões.