Hyperloop, o transporte tubular para carros e pessoas

Esse novo meio seria rápido o suficiente para transportar uma pessoa de Los Angeles a São Francisco em 30 minutos

São Francisco – O Hyperloop está aqui, em toda a sua glória teórica. Após manter o suspense por cerca de um ano, Elon Musk, CEO da Tesla Motors Inc. e da Space Exploration Technologies Corp., finalmente revelou alguns detalhes concretos do que ele vê como o novo meio de transporte super-rápido movido a energia solar.

Com o típico estilo Musk, o Hyperloop se coloca como uma desafio ao statu quo — neste caso, ao trem de alta velocidade de US$ 70 bilhões da Califórnia, que foi criticado por Musk e outros por ser muito caro, muito lento e impraticável.

Na visão de Musk, o Hyperloop poderá transportar pessoas de cidade a cidade por meio de cápsulas encerradas dentro de tubos, reportou a Bloomberg Businessweek.com em seu website. Ele descreve o desenho como parecido com uma espingarda com dois canos, com os tubos correndo lado a lado na maior parte do caminho e fechando o trajeto em cada ponta.

Estes tubos seriam montados sobre colunas de 45,7 m a 91,4 m de distância, com as cápsulas dentro deles viajando a 1.300 km por hora — rápido o suficiente para transportar uma pessoa de Los Angeles a São Francisco em 30 minutos.

“Eu acho que para fazer com que isso seja realmente maravilhoso é preciso que a cápsula leve carros, além de pessoas”, disse Musk em uma entrevista antes de o desenho do Hyperloop ser revelado. “Você apenas estaciona dentro e a cápsula parte.”

Carreira de Musk

A maior parte da carreira empreendedora de Musk foi consagrada a atacar empresas que ele considera ineficientes ou sem inspiração. Musk foi cofundador do PayPal, em um esforço para sacudir o negócio bancário, e depois usou a fortuna que ganhou ao vender o empreedimento à EBay Inc. para financiar esforços igualmente ambiciosos em transporte.


A Tesla construiu, por exemplo, o carro convencional totalmente elétrico de melhor performance e avaliação e uma rede complementária de estações de carregamento espalhadas pela América do Norte.

No caso do Hyperloop, a criatividade de Musk começou a fluir depois que ele ficou desencantado com o futuro sistema de trens de alta velocidade da Califórnia. O trem, que tem resistido a muita disputa política, foi orçado em US$ 70 bilhões.

‘Custos finais’

“Você tem que olhar o que eles dizem ser o custo contra o custo final de fato, e eu acho que é seguro dizer que estamos falando de um trem de mais de US$ 100 bilhões”, disse Musk, ao mesmo tempo ressaltando a lentidão do trem e a terrível confusão em relação aos direitos sobre terrenos.

Ao colocar o Hyperloop sobre colunas, Musk acredita poder evitar muitos dos problemas relacionados a terrenos. Ele entende que o Hyperloop poderia ser construído por US$ 6 bilhões com cápsulas próprias para pessoas, ou por US$ 10 bilhões com cápsulas maiores, capazes de transportar carros.

Então, na verdade, ele está propondo uma alternativa que é quatro vezes mais rápida e custa um décimo do valor do trem de alta velocidade.

‘Muito mais barato’

O Hyperloop pode utilizar energia solar e as passagens podem sair “muito mais baratas” que as de uma viagem de avião, disse Musk. “Poderia haver painéis solares sobre os tubos, que gerariam energia para mover as cápsulas e energia excedente que poderia ser armazenada, assim ele poderia funcionar à noite”, diz ele.

E quanto à segurança? Musk já ouviu falar a respeito.


“Há um freio de emergência”, diz ele. “De forma geral, no entanto, a distância segura entre as cápsulas pode ser de cerca de 8 quilômetros, então você pode ter em torno de 70 cápsulas entre Los Angeles e São Francisco, que sairiam a cada 30 segundos. É como dar uma volta na Space Mountain, na Disneylândia”.

O Hyperloop foi desenhado para ligar cidades separadas por menos de 1.600 quilômetros com grande tráfego entre elas, disse Musk. Em distâncias inferiores a 1.600 quilômetros o Hyperloop tem uma boa vantagem sobre os aviões, que necessitam de muito tempo para decolar e pousar.

“Ele faz sentido para trajetos como Los Angeles a São Francisco, Nova York a Washington, Nova York a Boston e esse tipo de coisa”, disse Musk. “Acima de 1.600 quilômetros o custo do tubo começa a tornar-se proibitivo. E você não precisa colocar tubos em cada um dos percursos. Você não vai querer viver na Tubolândia”.

Musk disse que ele poderia apoiar outra pessoa ou organização que quisesse transformar o Hyperloop em realidade.

“É uma questão de encontrar a pessoa certa e o time para ir atrás disso”, disse Musk. “Criar um protótipo não é tão caro assim”.

Mas se ninguém avançar ou agir sobre as ideias de Musk, ele disse que poderia retomar o Hyperloop dentro de alguns anos e fazer isso no âmbito da Tesla.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.