Hungria desiste de criar imposto para tráfego de internet

O governo local realizará plebiscito sobre neutralidade da rede e custos da internet

O governo da Hungria desistiu da ideia de taxar o tráfego da internet, um projeto que gerou intensos protestos no país em outubro.

Na época, o governo afirmou que o plano era uma forma de recuperar parte da arrecadação perdida à medida que as pessoas trocavam telefones por aplicativos como Skype e WhatsApp.

“A ideia morreu. Foi uma decisão inteligente por parte do primeiro-ministro”, afirmou Tamas Deutsch, líder do órgão que controla a internet no país.

O plano do primeiro-ministro Viktor Orban era cobrar cerca de 2 reais por cada gigabyte de informação que trafegasse no país.

No ano que vem, o governo irá realizar um plebiscito on-line, perguntando aos cidadãos locais suas opiniões sobre a neutralidade da rede e os custos da internet.

Cerca de 8,4 milhões de pessoas devem participar da pesquisa, que será feita em forma de questionário.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.