Tecnologia

Grooveshark perde EMI, sua única grande parceira

Serviço gratuito de compartilhamento de músicas via streaming perde acordo com EMI e é processada por outras três grandes gravadoras

Grooveshark permite que usuários compartilhem e escutem, gratuitamente, músicas via streaming (Divulgação)

Grooveshark permite que usuários compartilhem e escutem, gratuitamente, músicas via streaming (Divulgação)

Gabriela Ruic

Gabriela Ruic

Publicado em 4 de abril de 2012 às 12h59.

São Paulo – O Grooveshark, popular serviço de compartilhamento de música, perdeu o apoio da gravadora EMI, que representa bandas como The Beatles, por exemplo. Segundo informado pelo site CNET, a gravadora alegou na justiça americana que o Grooveshark não cumpriu as obrigações financeiras previstas no contrato, que permitia ao serviço disponibilizar músicas de artistas da EMI para o público, gratuitamente via streaming.

Em resposta, o Grooveshark divulgou que o problema estava, na realidade, nas taxas altíssimas cobradas pela EMI pela liberação das músicas. Além disso, diz o comunicado, a fusão entre EMI e Universal Music é vista como “monopolista” e ainda “viola as leis antitruste”, que regulamentam práticas anticompetitivas.

De acordo com a CNET, a perda do acordo com a EMI é significante para o Grooveshark, pois era a única grande gravadora a liberar músicas para o site. O serviço também já é alvo de ações de outras gravadoras de peso no mercado musical, como a própria Universal, Sony Music e Warner Music Group, com base em violação de copyright.

Acompanhe tudo sobre:CopyrightEmpresasEmpresas de internetGroovesharkInternet

Mais de Tecnologia

ServiceNow lida com crise e saída de COO em meio a expectativas de balanço positivo

CrowdStrike dá vale-presente de US$ 10 a funcionários que resolveram apagão cibernético

CEO do Spotify confirma que assinatura "deluxe" com áudio de alta fidelidade chegará em breve

CrowdStrike: o bug em mecanismo de segurança que causou o apagão cibernético

Mais na Exame