Tecnologia

Fun-Vii, o Batmóvel da Toyota, muda de cor com um toque

Toyota Fun-Vii, em exposição no Tokyo Motor Show, é todo coberto de displays e muda de cor com um toque dos dedos

Carro-conceito Toyota Fun-Vii 2011 (Divulgação)

Carro-conceito Toyota Fun-Vii 2011 (Divulgação)

Maurício Grego

Maurício Grego

Publicado em 1 de dezembro de 2011 às 16h58.

Última atualização em 18 de outubro de 2016 às 08h52.

São Paulo — Num tempo em que as montadoras competem para ver quem apresenta o carro-conceito mais futurista, a Toyota marcou um gol contra os concorrentes. No Tokyo Motor Show 2011, a empresa exibe o Fun-Vii. A aparência de Batmóvel desse carro já é impressionante. Mas há muito mais. Toda a lateral do Fun-Vii é um enorme display capaz de exibir cores, grafismos e mensagens. Um app num tablet ou smartphone permite mudar a aparência do carro com um toque. Essa tela também pode ser usada para exibir publicidade e informações.

No lado de dentro, o painel e o para-brisa formam um grande display – como se o Fun-Vii fosse um smartphone gigante. Informações de navegação são exibidas num sistema de realidade aumentada à frente dos ocupantes. O carro se comunica com outros veículos em volta e com a estrada e outros elementos da infraestrutura. Assim, ele pode detectar riscos e evitar colisões. Os ocupantes também podem trocar mensagens e falar com pessoas em outros automóveis. E é possível se divertir com jogos durante a viagem, como um simulador de corridas – o que não deixa de ser irônico dentro de um carro. Clique na foto para ver a demonstração do Fun-Vii.

var galeriaLinkVideo = '
https://youtube.com/watch?v=7rX77p6O_Ic%3Frel%3D0
';

Acompanhe tudo sobre:AutoindústriaCarrosCarros elétricosCarros high techEmpresasEmpresas japonesasMontadorasSalões de automóveisTokyo Motor ShowToyotaVeículos

Mais de Tecnologia

Uber apresenta instabilidade no app nesta sexta-feira

Zuckerberg diz que reação de Trump após ser baleado foi uma das cenas mais incríveis que já viu

Companhias aéreas retomam operações após apagão cibernético

O que faz a CrowdStrike, empresa por trás do apagão cibernético

Mais na Exame