Engenheiros trabalham de graça para criar transporte terrestre quase supersônico

Os profissionais atuam coordenando estudantes de engenheria da UCLA,

Engenheiros de empresas como Boeing, Airbus e SpaceX estão trabalhando de graça para para a startup Hyperloop Transportation Technologies na criação de um transporte terrestre quase supersônico.

Os profissionais atuam coordenando estudantes de engenheria da UCLA, no núcleo SupraStudio. O meio de transporte, idealizado por Elon Musk (fundador do PayPal, da companhia espacial SpaceX e da empresa de veículos elétricos Tesla Motors), é chamado Hyperloop e pode atingir uma velocidade próxima à do som (1 220 km/h) utlizando energia solar.

Até o momento, foram criados conceitos de trilhos, cápsulas e estações do Hyperloop. Os engenheiros tomaram cuidado para criar trilhos tão retilíneos quanto possível para evitar que os passageiros sintam enjoo durante a viagem.

Segundo um estudo publicado por Musk no blog da Tesla Motors, seriam necessários, aproximadamente, 6 bilhões de dólares para construir duas linhas de Hyperloop,  ida e volta, entre Los Angeles e San Francisco. Essa distância de 550 quilômetros seria percorrida em 30 minutos por cada uma das 40 cápsulas com capacidade para 28 passageiros.

O custo da construção é consideravelmente menor que os 70 bilhões estimados para criar uma linha de alta velocidade que ligue as duas cidades da Califórnia — projeto que está previsto para 2029.

Segundo a Wired, a Hyperloop Transportation Technologies, financiada pelo fundo JumpStartFund, pretende criar protótipos em 2015. Um dos desafios da companhia é encontrar investidores para o projeto. Algo que difere da sugestão de Musk é que a iniciativa prevê o uso da tecnologia de levitação magnética, usada nos trens de alta velocidade Maglevs, bem como no Hendo Hover, um produto que funciona de forma similar ao skate flutuante de “De Volta para o Futuro Parte II” (1989).

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.