Com ajuda do Alibaba, China vai monitorar coronavírus com QR code

Cidadãos de Hangzhou já testam tecnologia que relaciona um QR code colorido ao seu estado de saúde

Xangai — O governo da China está solicitando a ajuda do Alibaba Group e da Tencent para expandir sistemas baseados em cores para monitorar indivíduos afetados pelo coronavírus em todo o país.

Na quarta-feira, a Alipay, o aplicativo de pagamento operado pela unidade financeira do Alibaba, Ant Financial, divulgou um recurso em colaboração com o governo que atribui um QR code colorido representando a saúde dos moradores de Hangzhou.

Os usuários da cidade preenchem um formulário online informando seu número de identificação, se viajaram para fora de Hangzhou recentemente e quaisquer sintomas que possam ter que sugiram a doença, como febre ou tosse forte.

Após preencher o questionário, os usuários recebem um QR code baseado em cores, um tipo de código de barras, em seus celulares, indicando seu status de saúde.

Usuários com código vermelho são instruídos a permanecer em quarentena por 14 dias e a fazer check-ins regulares por meio do DingTalk, um aplicativo de mensagens para escritórios também controlado pelo Alibaba.

Usuários com um código amarelo são instruídos a permanecer dentro de casa por 7 dias, enquanto os usuários com um código verde podem transitar livremente.

Reportagens da mídia estatal descrevem o sistema como uma ferramenta a ser implantada nos pontos de verificação de viagens, como estações de trem ou rodovias. O sistema também está sendo usado dentro de bairros.

Dois moradores de Hangzhou disseram à Reuters que seus complexos de apartamentos pediram para ver o QR code ao entrar no prédio. Outra moradora de Hangzhou disse à Reuters que foi solicitada a mostrar seu código QR antes de entrar no supermercado local.

No domingo, a Alipay anunciou que está trabalhando com o governo para levar o serviço para todo o país.

A Tencent, desenvolvedora do popular aplicativo de mensagens WeChat, anunciou no sábado um recurso semelhante de monitoramento baseado em QR code, em colaboração com uma divisão do Conselho Nacional de Desenvolvimento e Reforma da China (NDRC).

A empresa disse em uma rede social publicado no sábado que o sistema está atualmente em uso na cidade de Shenzhen, no sul, e será implantado em breve na província de Guangdong.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?

Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?

Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.