Anitta pressiona, dicionário obedece e altera definição de "patroa"

A questão era que o Google definia patrão como "proprietário ou chefe", enquanto "patroa" era definida como "mulher do patrão"
Anitta: cantora pressionou, e Google mudou definição de palavra (Germano Lüders/Exame)
Anitta: cantora pressionou, e Google mudou definição de palavra (Germano Lüders/Exame)
Por Tamires VitorioPublicado em 18/09/2020 10:45 | Última atualização em 18/09/2020 12:43Tempo de Leitura: 3 min de leitura

"Poderosa, empresária e milionária" é assim que se define a cantora brasileira Anitta em sua mais nova parceria musical. Mas não é só isso: nesta quinta-feira, 17, a cantora conseguiu fazer com que o dicionário da Universidade de Oxford (a mesma das vacinas) mudasse a definição da palavra "patroa", como era exibida nas buscas no Google. Fãs da cantora têm usado bastante o termo após o vazamento de conversas entre ela e a também cantora Ludmilla.

A questão era que o Google apresentava a definição de "patrão" como "proprietário ou chefe", enquanto "patroa" era definida como "mulher do patrão ou dona de casa". Não demorou para que a cantora fosse até o seu perfil no Instagram, na semana passada, pedir para que o dicionário desse um jeito na definição considerada machista. Nos stories, Anitta esbravejou "patroa é o feminino, é a mesma coisa que patrão, dona e proprietária do que eu quiser. Eu não to acreditando que isso está no nosso dicionário, gente! Eu não estou acreditando", disse ela.

Não demorou para que a gigante de tecnologia alterasse o significado da palavra.

(Google/Reprodução)

Mas essa não foi a primeira vez que o Google entrou em maus lençóis por conta das definições que aparecem em sua primeira página de pesquisas. Recentemente prints das definições das palavras "solteiro" e "solteira" ganharam as redes sociais, uma vez que os dois significam coisas totalmente diferentes, segundo os dicionários indexados pelo mecanismo de pesquisa. Enquanto "solteiro" era definido como "homem que não se casou", "solteira" era definida como "prostituta, meretriz".

Mas afinal de contas, é o Google quem define as palavras?

Não. Isso porque, na hora que o usuário busca "definição de sushi", por exemplo, o que aparece é uma definição licenciada do dicionário da Universidade de Oxford (sim, a mesma da vacina). Pode reparar que, no final do quadro da definição, aparece a seguinte frase em uma fonte em tom mais claro: "definições de Oxford Languages".

Em posicionamento enviado à EXAME, o Google afirmou que "nossa missão é tornar as informações acessíveis e úteis para todos". "Trabalhamos com conteúdo licenciado de dicionários parceiros para ajudar nossos usuários a encontrar de forma fácil informações sobre palavras na Busca. Não editamos nem removemos as definições fornecidas pelos nossos parceiros que são os especialistas em idiomas. No caso dos significados das palavras “patroa” e “mulher-solteira”, a Oxford Languages, nossa parceira que trabalha com uma das editoras mais tradicionais de dicionários do Brasil, determinou que ambas definições não refletem mais o uso moderno da língua portuguesa falada pelos brasileiros e não são usadas o suficiente para para serem incluídas nos resultados de significados. As definições foram atualizadas pela Oxford Languages e as mudanças já estão refletidas nos resultados de dicionário exibidos na Busca", afirmou a empresa.