Tecnologia

Placa de vídeo da AMD para supercomputação tem 12 GB de memória

12 gigabytes de memória embutidos em uma única placa gráfica promete ser a solução ideal para big data.

L
Luiz Cruz

18 de novembro de 2013, 15h44

AMD FirePro S10000 12GB Edition é o nome da primeira placa de vídeo a ter 12 GB de memória RAM disponíveis para processamentos paralelos em alta escala, ou computação de alto desempenho (HPC). Semelhante à versão anterior, que possui 6 GB, esta placa usa a conexão PCI Express 3.0, que na teoria pode alcançar taxas de transferências de 985 MB/s. O detalhe importante é que a memória suporta o padrão ECC, isto é, tem correção de erros.

O aumento de capacidade de memória é uma forma de reduzir a latência para trabalhar com grandes quantidades de informação – leia como "big data". As aplicações dependem da adaptação de uma tarefa a programação usando a arquitetura OpenCL, mas segundo a AMD, a placa é direcionada para as seguintes atividades:

• Computação/Visualização: finanças, exploração de óleo, modelagem automobilística ou aeronáutica, geofísica, ciências humanas, medicina e defesa;

• Dupla precisão: sequenciamento genético, dinâmica dos fluídos, mecânica estrutural, análises numéricas, simulações de reservatório e simulações de clima;

• Precisão simples: processamento sísmico, dinâmica molecular, imagem de satélite, simulação de impacto de veículos, tratamento de vídeo, processamento de sinais, codificação de vídeo, renderização de vídeos, e imagens médicas;

• Workstation de alto processamento: óleo e gás e engenharia assistida por computador.

Várias máquinas operando em rede com muitas placas gráficas destas economizam espaço e principalmente energia em relação a um supercomputador tradicional. A rival Nvidia já trilhava este caminho, quando em 2007 lançou sua plataforma de computação acelerada pelos núcleos de uma placa gráfica. A diferença básica é que a arquitetura escalar do núcleo de processamento gráfico permite múltiplos cálculos simultâneos, notavelmente em ponto flutuante. Tal processamento paralelo retira todo o peso dos processadores tradicionais. São mais núcleos a disposição. A eficiência é tão grande que ambas empresas, AMD e Nvidia, tem participação na lista dos supercomputadores mais eficientes, a Green 500, que relaciona a potência de cálculo com o consumo em Watts. Muitos deles híbridos (que usam ambas as formas de processamento, as vezes com processadores especialistas).

O preço da nova placa de vídeo não foi revelado, mas a expectativa é que ela comece a ser comercializada depois de março de 2014.