Amazon aposta em tablets baratos em meio à pandemia do coronavírus

Os novos tablets Fire HD 8 e Fire HD 8 Plus foram lançados pela empresa nos Estados Unidos custando 90 e 110 dólares cada um

A Amazon anunciou, nesta quarta-feira, o lançamento de dois novos tablets durante a quarentena. Os novos modelos Fire HD de 8 polegadas já estão em pré-venda pelo site oficial e serão comercializados a partir do dia 3 de junho. O preço se inicia em 90 dólares, sendo esses dispositivos mais acessíveis do que o usual.

O modelo mais avançado, Fire HD 8 Plus, custará a partir de 110 dólares. O dispositivo pode ser carregado sem fio e tem uma memória RAM de 2 gigabytes e um armazenamento de 64 gigabytes. Caso o usuário deseje, existe a opção de comprar um pacote com uma assinatura de seis meses do Kindle Unlimited, serviço de assinatura de livros da Amazon.

Já o modelo básico, Fire HD 8, também com preço inicial de 90 dólares, terá um processador mais rápido do que o primeiro modelo — será um quad-core de 2 GHz que garante uma interface 30% mais rápida, além de um armazenamento de 32 GB. Os dois dispositivos podem ter sua memória expandida para até 1 terabyte por meio de um cartão microSD. Dessa forma, os tablets podem ser utilizados tanto para leitura como jogos.

Amazon Fire 8 HD

 (Amazon/Reprodução)

A tela dos novos modelos tem um tamanho de 1280 x 800 pixels, o que faz com que os dispositivos sejam mais confortáveis para utilização do que os smartphones. A decisão da empresa de lançar os produtos durante a quarentena se deu pelo aumento das vendas de produtos eletrônicos nos Estados Unidos — as vendas de maio deste ano aumentaram 33% se comparadas com as de maio de 2019. 

A Amazon também terá uma versão infantil do Fire HD, custando 140 dólares, que vem acompanhada de uma capa personalizada para as crianças. A Fire HD Kids Edition vem com uma assinatura anual do serviço Amazon FreeTime Unlimited, ainda não disponível no Brasil, que permite acesso ilimitado a livros, filmes e jogos disponíveis

Com o preço mais baixo do que usual, a Amazon planeja utilizar essa estratégia para estimular que os usuários comprem seus dispositivos e, também, livros e filmes de suas lojas digitais, integradas aos tablets. São, também, uma versão menos premium e sofisticada do que os iPads, tablets da Apple, uma de suas principais concorrentes de mercado.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.