Tecnologia
Acompanhe:

A nova vida de Jack Ma, o bilionário chinês que foi perseguido pelo Partido Comunista

Vivendo no Japão, o fundador e ex-CEO da Alibaba vive uma rotina discreta e longe dos negócios com o governo da China

O bilionário Jack Ma: pressão do partido comunista chinês afastou Ma do Ant Group (Wang HE / Colaborador/Getty Images)

O bilionário Jack Ma: pressão do partido comunista chinês afastou Ma do Ant Group (Wang HE / Colaborador/Getty Images)

A
André Lopes

30 de novembro de 2022, 15h30

A nova rotina do bilionário fundador e ex-CEO do Alibaba parece mais a de alguém que se aposentou para ficar longe dos holofotes, e contrasta com o seu comportamento de poucos anos atrás. Vivendo atualmente em Tóquio, no Japão, com sua família, a agenda do magnata conta com idas a fontes termais e resorts de esqui no interior e viagens regulares aos Estados Unidos e Israel, segundo apurou o Financial Times.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

Pessoas envolvidas na cena de arte moderna do Japão disseram que Ma se tornou um colecionador entusiástico. Amigos do bilionário na China disseram que ele começou a pintar aquarelas para passar o tempo, depois de ser forçado a se retirar de sua frenética vida pública, viajando para reuniões com autoridades na China e em todo o mundo.

Mas já houve um tempo em que Ma seria facilmente visto em eventos de empreendedorismo e universidades pelo mundo, palestrando sobre sua carreira singular. Sua imagem pública, além de bem-quista, era marcada por estratégias ousadas nos negócios e excentricidades que envolviam apostas altas em práticas não usuais de investimentos, mas que o colocavam como um ícone da ascensão de capitalistas chineses no setor de tecnologia.

Contudo, poucos dias antes da abertura de capital (IPO) do Ant Group a maior fintech da China e que controla o Alibaba em 2020, Ma desapareceu após ter realizado um discurso cheio de críticas contra os reguladores do mercado chinês.

Dali em diante, foi lançado à posição de persona non grata pelo partido comunista e se viu envolto de uma investigação das autoridades chinesas por suposto comportamento predatório no mercado. Das poucas aparições a partir de então, a mais recente elucida a nova vida do bilionário, que não parece mais querer uma relação próxima com o governo da China.

A ausência de Ma do seu país de origem também coincidiu com a escalada dos controles da "covid zero" do presidente Xi Jinping este ano, que provocou um bloqueio severo em Xangai, próximo de onde Ma tem uma casa.

O paradeiro de Ma tem sido objeto de intensa especulação desde que o fundador do Alibaba foi visto na ilha espanhola de Mallorca no ano passado, segundo relatos da mídia local. Em julho, Ma também visitou uma universidade na Holanda para aprender sobre produção sustentável de alimentos. Um sinal de que bilionário pode querer uma nova vida longe do capitalismo e consumismos que ele mesmo ajudou a se desenvolver.

VEJA TAMBÉM: