Relógios e muito mais: 5 passeios imperdíveis em Genebra

Genebra é conhecida como a menor das metrópoles europeias. E merece uma visita com calma em suas próximas férias
Vista dos prédios do Lago Léman: passeio de barco por águas cristalinas (Exame/Carolina Gehlen)
Vista dos prédios do Lago Léman: passeio de barco por águas cristalinas (Exame/Carolina Gehlen)
Por Ivan Padilla, de Genebra Publicado em 14/04/2022 05:15 | Última atualização em 13/04/2022 14:45Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Nos roteiros de viagem há as cidades superestimadas e as subestimadas. Genebra, na Suíça, pertence ao segundo grupo. Rodeada pelas montanhas dos Alpes e do Jura, a menor das metrópoles europeias tem vista para o Mont Blanc e costuma ser passagem para quem vai esquiar em alguma das 300 estações nas imediações. Mas nas próximas férias reserve um tempo para conhecer mais a fundo esse charmoso destino quase na fronteira com a França. Indicamos aqui cinco passeios.

Relojoaria antiga

Em Genebra estão as sedes de boa parte das grandes manufaturas suíças. Os anúncios de marcas como Rolex, Richard Mille e Patek Philippe no topo dos prédios não permitem esquecer. Mas ainda trabalham por lá artesãos independentes, que produzem todos os componentes de um relógio, poucas peças ao ano. O ateliê do relojoeiro Cédric Johner pode ser visitado com horário agendado no escritório do Geneva Tourism (geneve.com).

Museu humanitário

Genebra abriga cerca de 40 organismos internacionais. A escultura Cadeira Quebrada, de 12 metros de altura, do artista Daniel Berset, fica na Praça das Nações e simboliza as vítimas de minas terrestres. Logo ali perto fica o Museu da Cruz Vermelha, com objetos feitos por detentos ao redor do mundo e vídeos com relatos de refugiados. A entrada custa 15 euros.

Passeio de barco

Alugue um barco para conhecer Genebra pelo Léman, o maior lago urbano da Europa, de águas muito cristalinas. Custa, em média, 80 francos a hora. O passeio pode terminar em um bucólico almoço no Auberge d’Hermance, no simpático vilarejo de Hermance, à beira do lago. Peça o típico filé de perche com batatas assadas e aspargos na manteiga, acompanhado de uma taça de vinho gamay, uva da região. A refeição sai, em média, a 120 francos. 

Comer bem

Philippe Chevrier é o chef mais renomado de Genebra. Seu restaurante, localizado em uma pequena travessa da movimentada Rue du Rhone, é uma excelente pedida para jantar, principalmente para apreciadores de carnes. O boeuf suisse, carne de touro criado sem hormônio, é um clássico da casa. Para duas pessoas, com dois acompanhamentos, sai por 150 francos.

Hotéis de charme

Se puder, escolha um hotel na charmosa cidade velha, na parte alta, com belos edifícios do Renascimento. O cinco estrelas Les Armures (lesarmures.ch/pt-br) é um dos mais charmosos. Fica em um prédio do século 16, a 5 minutos de caminhada do lago e das lojas do centro, e conta com um conceituado restaurante na parte de trás. A diária sai, em média, a 430 francos. Na beira do lago, um pouco mais afastado, está o La Réserve Genève (lareserve-geneve.com), uma espécie de resort urbano perto das atrações da cidade, com muita natureza em volta. Diária por cerca de 600 francos.