Como a Pin People aposta no “RH do futuro”

Para Frederico Lacerda, fundador da startup de recursos humanos, pouca gente quer fazer carreira num lugar só e, por isso, o RH das empresas precisa mudar

O administrador Frederico Lacerda é um dos maiores experts no Brasil em fazer as empresas colocar seus funcionários no centro da estratégia de negócios, um dos pilares do employee experience. Lacerda é fundador da startup paulistana Pin People, dedicada à tecnologia para medir a satisfação da mão de obra da empresa. A seguir, Lacerda explica a origem da tendência e por que ela é importante para as empresas.

Sabia que a EXAME agora tem cursos de línguas? Venha aprender Data Science e Python com a EXAME Academy 

De onde surge o employee experience?

O conceito de “experiência” não é novo nas empresas. Há décadas elas investem na experiência dos clientes com seus produtos e serviços. O employee nasce daí. Só que, em vez de olhar para quem está fora da organização, aqui estamos olhando para dentro.

Há um negócio referência no tema?

Um dos principais é o Airbnb. Em 2015, o aplicativo de economia compartilhada renomeou o cargo de diretor de RH para head de global experience. Por lá, a função do cargo deixou de estar em caixinhas tradicionais do RH, como seleção e treinamento de pessoal, focadas na eficiência e na redução de custos. O foco agora é na geração de valor na relação empresa e empregado.

Por que prestar atenção em employee experience?

A tendência está crescendo mundo afora. De 2014 a 2019 o número de profissionais com esse cargo aumentou duas vezes e meia, segundo dados do LinkedIn. Em 2019, não tínhamos na Pin People clientes com esse cargo. Agora, metade deles tem o título. Entramos numa era em que as pessoas são o principal ativo das organizações.

Antes, o trabalho significava estabilidade para muita gente disposta a construir carreira num lugar só. Hoje, as pessoas não querem ficar na mesma empresa a vida inteira. Há pesquisas mostrando que a permanência dos funcionários em empresas de tecnologia não supera dois anos, em média.

As empresas não mudaram, mas as pessoas sim.

De 0 a 10 quanto você recomendaria Exame para um amigo ou parente?

 

Clicando em um dos números acima e finalizando sua avaliação você nos ajudará a melhorar ainda mais.

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.