Revista Exame

Com animação, desenhos feitos em sala de aula ganham o mundo. Próxima parada: Finlândia

Plataforma “De Criança Para Criança” está sendo aplicada em escolas da Europa

Gilberto Barroso, do DCPD: vamos abrir na Finlândia a nossa primeira filial internacional (DCPD/Divulgação)

Gilberto Barroso, do DCPD: vamos abrir na Finlândia a nossa primeira filial internacional (DCPD/Divulgação)

Publicado em 18 de junho de 2024 às 06h00.

Há mercados em que a barreira de internacionalização pode ser mais alta, como o de educação. Mesmo assim, existem empreendedores que despontam usando novas técnicas para conquistar outros países. É o caso dos dois criadores da metodologia “De Criança Para Criança”, ou DCPC. Gilberto Barroso, administrador e diretor de TV por assinatura por 20 anos, e o sócio Vitor Azambuja, publicitário e diretor de arte, desenvolveram um método de ensino para as crianças aprenderem as matérias escolares desenhando.

“Com a nossa metodologia, as crianças desenham e narram histórias com base em tópicos da aula. Depois, os desenhos viram animações ou jogos”, diz Barroso. Os professores ocupam a posição de mentores, transmitindo os conteúdos e auxiliando no envio dos desenhos e das gravações para a equipe de animação.

A startup entrou no mercado em 2016, quando recebeu aporte de 2,5 milhões de reais da rede de escolas Progresso. Dois anos depois, a operação chegou às escolas públicas por aqui e começou a desembarcar em países como Dinamarca, Espanha, Alemanha e Ucrânia. Das 120 escolas no portfólio, 30% estão distribuídas por esses territórios. Passada essa primeira fase, a DCPC está em vias de abrir na Finlândia a primeira filial internacional. “Vamos investir cerca de 700.000 reais na estrutura da Finlândia e estamos recebendo todo o apoio do governo.” O convite chegou pelo Business Finland, organismo para a atração de novos negócios ao país. A startup deve encerrar o ano com receita de 7 milhões de reais, alta de quase 30% em relação a 2022.

Acompanhe tudo sobre:1264

Mais de Revista Exame

Melhores do ESG: os destaques do ano em energia

ESG na essência

Melhores do ESG: os destaques do ano em telecomunicações, tecnologia e mídia

O "zap" mundo afora: empresa que automatiza mensagens em apps avança com aquisições fora do Brasil

Mais na Exame