Google demite engenheiro que disse que inteligência artificial era autoconsciente

Funcionário diz ter sido informado sobre rescisão de contrato por e-mail e diz que conversa com advogados para "decidir próximos passos"
Funcionário afirmou que IA do Google tinha se tornado autoconsciente (MR.Cole_Photographer/Getty Images)
Funcionário afirmou que IA do Google tinha se tornado autoconsciente (MR.Cole_Photographer/Getty Images)
E
Estadão Conteúdo

Publicado em 23/07/2022 às 13:16.

Última atualização em 23/07/2022 às 13:16.

O Google demitiu o engenheiro de software Blake Lemoine, após ele afirmar que uma inteligência artificial (IA) da empresa conhecida por LamDA se tornou autoconsciente. De acordo com o Google, Lemoine violou políticas de segurança de dados da companhia.

Segundo Lemoine disse à direção do Google, a LamDA, sigla em inglês para "Modelo de linguagem para aplicações de diálogo" (em tradução livre), é uma pessoa que tem direitos e pode muito bem ter uma alma. A IA é um sistema interno para a construção de robôs de diálogo que imitam a fala. O Google inicialmente suspendeu Lemoine em junho.

VEJA TAMBÉM

Na última sexta-feira, 22, Lemoine informou que o Google enviou um e-mail rescindindo seu contrato de trabalho com a companhia. Ele ainda disse que está em contato com advogados "sobre quais são os próximos passos apropriados".

O Google, em comunicado, afirmou que revisou as preocupações de Lemoine e as considerou sem mérito. "É lamentável que, apesar do longo envolvimento com esse tópico, Blake ainda opte por violar persistentemente políticas claras de emprego e segurança de dados que incluem a necessidade de proteger as informações do produto", disse a empresa em comunicado, confirmando sua demissão.