• AALR3 R$ 19,70 -0.25
  • AAPL34 R$ 73,76 0.27
  • ABCB4 R$ 17,02 3.28
  • ABEV3 R$ 14,74 0.34
  • AERI3 R$ 3,94 -10.05
  • AESB3 R$ 10,82 0.84
  • AGRO3 R$ 31,64 0.09
  • ALPA4 R$ 21,47 -1.01
  • ALSO3 R$ 20,22 1.76
  • ALUP11 R$ 26,38 0.73
  • AMAR3 R$ 2,48 4.20
  • AMBP3 R$ 30,37 2.50
  • AMER3 R$ 23,07 -2.49
  • AMZO34 R$ 72,52 1.38
  • ANIM3 R$ 5,71 2.88
  • ARZZ3 R$ 82,44 -0.40
  • ASAI3 R$ 15,89 3.38
  • AZUL4 R$ 22,11 4.00
  • B3SA3 R$ 11,92 2.32
  • BBAS3 R$ 36,41 2.80
  • AALR3 R$ 19,70 -0.25
  • AAPL34 R$ 73,76 0.27
  • ABCB4 R$ 17,02 3.28
  • ABEV3 R$ 14,74 0.34
  • AERI3 R$ 3,94 -10.05
  • AESB3 R$ 10,82 0.84
  • AGRO3 R$ 31,64 0.09
  • ALPA4 R$ 21,47 -1.01
  • ALSO3 R$ 20,22 1.76
  • ALUP11 R$ 26,38 0.73
  • AMAR3 R$ 2,48 4.20
  • AMBP3 R$ 30,37 2.50
  • AMER3 R$ 23,07 -2.49
  • AMZO34 R$ 72,52 1.38
  • ANIM3 R$ 5,71 2.88
  • ARZZ3 R$ 82,44 -0.40
  • ASAI3 R$ 15,89 3.38
  • AZUL4 R$ 22,11 4.00
  • B3SA3 R$ 11,92 2.32
  • BBAS3 R$ 36,41 2.80
Abra sua conta no BTG

Com máscaras e camisetas básicas, startup se reinventa e fatura R$ 30 mi

Fundada em 2017, a startup Insider Store começou suas operações focada no público masculino, vendendo camisetas e cuecas à prova de suor e odor
Camisetas básicas: a empresa desenvolveu uma linha de produtos antivirais feita a base de íons de prata (Divulgação/Insider Store)
Camisetas básicas: a empresa desenvolveu uma linha de produtos antivirais feita a base de íons de prata (Divulgação/Insider Store)
Por Carolina IngizzaPublicado em 16/11/2020 11:30 | Última atualização em 16/11/2020 11:37Tempo de Leitura: 3 min de leitura

A migração do trabalho do escritório para o home office foi um balde de água fria para os empreendedores Carolina Novais e Yuri Gricheno. Sua marca de roupas masculinas Insider Store, criada em 2017, tinha como carro-chefe uma camiseta à prova de suor, ideal para ser usada por baixo das camisas. Com os clientes passando mais tempo em casa na pandemia, as vendas caíram quase 70%. Percebendo a urgência, a dupla reinventou o negócio e fez a startup crescer quatro vezes em 2020, chegando a 30 milhões de reais de faturamento anual.

O segredo do sucesso? Estar de olho no consumidor. Segundo Novais, a empresa passou a trabalhar focada nas necessidades dos seus clientes. Logo no começo da pandemia, com as normas de isolamento social, a loja virtual colocou kits para home office, com cuecas e camisetas básicas, em destaque no site.

Mas o grande acerto da empresa foi ter investido na criação de máscaras e camisetas antivirais. Como a marca já trabalhava com uma tecnologia antibacteriana para evitar os odores do suor, começou a desenvolver um tecido com íons de prata que fosse eficiente para inativar o coronavírus. Em maio, depois de testes da Unicamp validarem o tecido, a Insider passou a vender os novos produtos. “Nosso intuito não era virar uma marca de máscaras, mas sim ser úteis para o nosso consumidor durante a crise”, afirma Gricheno.

Com a nova linha, a empresa conseguiu recuperar seu ritmo de vendas e faturou 25 milhões de reais até o mês de outubro.

Linha para mulheres

Indiretamente, o grande bônus da estratégia foi ter levado a marca ao conhecimento do público feminino. Como as mulheres, em geral, compram roupas e produtos para a família, elas passaram a ser responsáveis por 50% dos acessos do e-commerce da Insider.

Agora, a marca lança uma coleção exclusiva para elas. Nos últimos dois meses, a Insider desenvolveu camisetas antivirais em modelagens femininas e também dois modelos de sutiã e de calcinhas. “As mulheres enfrentam os mesmos problemas que os homens. Roupas com tecidos pesados, poluentes e que não secam rápido”, diz Carolina Novais.

A Insider carrega a bandeira da sustentabilidade. Suas peças são feitas com uma variação do modal, da poliamida e com nylon biodegradável. Cada camiseta economiza dois mil litros de água em relação à fabricação de uma camiseta comum, segundo os sócios.

A empresa está lançando também uma linha de roupas de academia para ambos os sexos. Em 2021, a meta dos sócios é colocar novos 10 produtos no mercado, aproveitando a visibilidade que a linha antiviral trouxe para o negócio. “Queremos ser uma marca digital relevante em tecnologia e desenvolvimento de produtos têxteis”, diz Gricheno. A projeção é faturar 50 milhões de reais em 2021.

A empresa emprega hoje 50 funcionários e não tem nenhum investidor externo. Em 2019, os sócios sonhavam em abrir uma loja física para dar visibilidade aos produtos. Hoje, com o crescimento do e-commerce, eles deixaram o plano de lado e focam na sua estratégia de ser uma empresa nativa digital vertical (assim como Dr. Jones e Zissou), trabalhando desde a fabricação até a entrega do produto.