Tesla busca expansão na Índia e contrata executivo

A desenvolvedora de carros elétricos registrou em janeiro uma filial na Índia, onde espera importar e vender o Tesla Model 3 sedã ainda em 2021, mirando o nicho de clientes ricos

A Tesla está procurando locais para abrir concessionárias em três cidades indianas e contratou um executivo para liderar seus esforços antes da entrada no país, afirmam fontes à Reuters.

A desenvolvedora de carros elétricos registrou em janeiro uma filial na Índia, onde espera importar e vender o Tesla Model 3 sedã ainda em 2021, mirando o nicho de clientes ricos.

A Tesla ainda recrutou Manuj Khurana, ex-executivo do Invest India, órgão de promoção de investimentos da Índia, na primeira grande contratação para liderar o desenvolvimento de negócios no país, disseram duas outras fontes. A Tesla não respondeu a um pedido de comentário, enquanto Khurana se recusou a comentar.

Elon Musk, presidente da Tesla, disse em outubro que a empresa entraria na Índia em 2021, embora tenha emitido tuítes parecidos antes. Mas a busca por locais para concessionárias e a nomeação de Khurana indicam que a empresa está agindo rápido.

"Se você olhar para concessionárias da Tesla mundialmente, elas são experiências. A empresa deseja replicar isso com algumas modificações no mercado indiano", disse uma das fontes.

Mas a Índia não será um mercado fácil para a Tesla. O país quase não tem infraestrutura para recarga de carros elétricos e cobra altos impostos sobre veículos importados. A Índia registrou apenas 5 mil aquisições de carros elétricos em um total de 2,4 milhões de veículos vendidos no ano passado.

Mas à medida que o governo aumenta o foco em promover carros limpos, analistas dizem que o número crescente de consumidores ricos torna a Índia num mercado que não pode ignorar.

Embora a Tesla planeje importar seus veículos no início, o ministro dos transportes da Índia disse à Reuters no mês passado que o governo está pronto para oferecer incentivos para garantir que o custo de produção da montadora seja menor do que na China se ela se comprometer a fabricar localmente.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.