Negócios

TAM e Gol devem corrigir venda de seguros na internet

Decisão da Anac obriga empresas a deixarem claro que seguro é opcional nas compras pela internet

Aviões da Tam e da Gol (Arquivo/Divulgação)

Aviões da Tam e da Gol (Arquivo/Divulgação)

DR

Da Redação

Publicado em 10 de outubro de 2010 às 03h42.

Brasília - A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) deu hoje (23) prazo de 48 horas para que as companhias aéreas Tam e Gol/Varig corrijam a forma de venda de seguros de viagem aos passageiros que compram o bilhete pela internet. O seguro, que é adicional e facultativo, é apresentado na página de compra previamente selecionado, o que pode induzir o consumidor a comprá-lo sem perceber.

Segundo a Anac, a informação sobre o seguro deve estar clara ao consumidor e o preço do serviço não pode estar previamente selecionado, como se fizesse parte das tarifas do transporte aéreo. O passageiro é que deve ter a opção para adquirir o seguro.

Em janeiro, a agência encaminhou ofícios às companhias Azul, Tam e Gol/Varig determinando a mudança na forma de venda do seguro de viagem. Segundo a Anac, somente a Azul alterou a forma de venda.

A Anac abriu processo administrativo contra a Tam e a Gol/Varig. As duas companhias receberam autos de infração e poderão ser multadas com valores que variam de R$ 8 mil a R$ 20 mil.

Caso o prazo seja descumprido, a Anac diz que irá suspender qualquer alteração solicitada pelas duas companhias na malha aérea. "Não serão avaliados novos pedidos de voos ou alterações nos voos atuais, que ocorrem diariamente em todas as empresas para ajustar as operações", de acordo com comunicado da agência.

As companhias Webjet e Trip, que recentemente adotaram a mesma prática de venda do seguro viagem, também foram notificadas pela Anac. Caso não alterem os sistemas poderão sofrer processo administrativo e sanções semelhantes às aplicadas a outras empresas.

Leia mais sobre aviação

Siga as últimas notícias de Negócios no Twitter

 

Acompanhe tudo sobre:AnacAviaçãoAviõescompanhias-aereasEmpresasEmpresas abertasEmpresas brasileirasGol Linhas AéreasInternetServiçosServiços onlineSetor de transporteTAM

Mais de Negócios

10 franquias baratas para quem quer deixar de ser funcionário a partir de R$ 2.850

Mukesh Ambani: quem é o bilionário indiano que vai pagar casamento de R$ 3,2 bilhões para o filho

De vendedor ambulante a empresa de eletrônicos: ele saiu de R$ 90 mil para mais de R$ 1,2 milhão

Marca de infusões orgânicas cresce com aumento do consumo de chás no Brasil e fatura R$ 6 milhões

Mais na Exame