Sem eletrônicos ou viagens: pandemia muda o programa de pontos da Dotz

Os usuários passaram a trocar os pontos por compras de supermercado, em farmácias e por recarga de celular

Assim como durante a crise econômica, a Dotz, empresa de pontos e fidelidade, percebe uma mudança na forma como seus clientes usam dos pontos. Como resposta, ela está está adaptando seu modelo de negócios durante pandemia do coronavírus para criar uma divisão de inteligência de mercado e acompanhar essas tendências mais de perto. 

No início da quarentena, a empresa suspendeu a expiração dos pontos. No site, há um novo catálogo de produtos que podem ser mais úteis durante o período de quarentena e para o home office, como produtos de limpeza, jogos, cursos educativos, itens para casa e outros. Essa categoria já representa 20% a 25% das trocas.

A Dotz, que tem 40 milhões de clientes, percebeu que a forma como os usuários trocam os pontos também mudou nesse período. A categoria de viagem, que representava 15% das trocas, hoje está zerada. Os usuários passaram a trocar os pontos por compras de supermercado, no lugar de trocas por celulares ou eletrodomésticos, por exemplo. A troca nas farmácias e por recarga de celular também cresceu. Normalmente, são 50 mil opções de produtos e ocorrem cerca de 10 mil trocas por dia

De acordo com Roberto Chade, presidente da Dotz, esse mesmo fenômeno foi observado durante a crise econômica, momentos em que os consumidores estão mais racionais sobre seus gastos. 

A empresa criou ainda um programa de doação, Doe Dotz, para ajudar as instituições Hospital Municipal Infantil Menino Jesus, Hospital Geral do Grajaú e Hospital Regional de Jundiaí, todos administrados pelo Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês. O objetivo é arrecadar 1 milhão de reais. 

Dados de varejo

Mais do que uma empresa de pontos, a Dotz quer usar os dados de seus usuários para entender melhor o mercado de varejo. Os dados como as compras dos usuários, sua cesta de compras e movimentos - anonimizados - podem ajudar a companhia a visualizar tendências. Agora, a empresa espera disponibilizar relatórios quinzenais com os dados.

Nas últimas semanas, a Dotz percebeu que o tíquete médio nos supermercados cresceu, como reflexo da menor frequência de compra dos consumidores, incentivados a ficar em casa. A compra de itens de higiene cresceu, assim como a compra de alimentos mais básicos - segundo Chade, isso significa que as pessoas têm cozinhado mais que o normal.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também