Samarco contrata bancos para renegociar dívidas, diz fonte

A Samarco e suas proprietárias Vale e BHP Billiton contrataram bancos para sondar credores sobre uma potencial renegociação de 3,8 bilhões de dólares em dívidas

São Paulo - A mineradora brasileira Samarco Mineração e suas proprietárias Vale e BHP Billiton contrataram bancos para sondar credores sobre uma potencial renegociação de 3,8 bilhões de dólares em dívidas, após o rompimento da barragem de Mariana levar ao fechamento de uma importante mina, disse uma fonte com conhecimento direto do plano nesta segunda-feira.

De acordo com a fonte, a BHP Billiton contratou o Rothschild & Co como conselheiro para um eventual acordo, a Vale trouxe o Moelis & Co, e o JPMorgan Chase & Co está aconselhando a Samarco.

A fonte solicitou anonimato porque o processo é privado. Nem a Samarco, a Vale ou a BHP Billiton esboçaram quaisquer propostas a credores, porque as negociações dependerão sobre quando a mineração da Samarco em Minas Gerais obterá permissão para ser reaberta, disse a fonte.

A Bloomberg News noticiou a contratação dos bancos no domingo. O rompimento da barragem de rejeitos em 5 de novembro causou uma enxurrada de lama que matou 19 pessoas, deixou centenas de desabrigados e poluiu o Rio Doce.

O governo considerou o desastre como a pior catástrofe ambiental do país. A mina está fechada desde então. As autoridades ambientais dizem que a reabertura só será permitida quando a empresa comprovar que a lama não está mais vazando nas proximidades e que a mina pode operar em segurança. Vale e BHP não quiseram comentar. Samarco, Rothschild, JPMorgan e Moelis não responderam imediatamente a pedidos de comentários.

PRAZOS IRREAIS

A Samarco inicialmente esperava retomar as operações este ano, mas admitiu na semana passada que o prazo não é mais realista. A FTI Consulting também foi contratada como conselheira para os bancos, para os quais a Samarco deve cerca de 1,6 bilhões de dólares, acrescentou a fonte.

Os 2,2 bilhões de dólares restantes são devidos a detentores de títulos, observou a fonte. A FTI não quis comentar. A empresa propôs a retomada da produção com capacidade limitada e usando antigas cavas de minas para armazenar os rejeitos. Esta proposta ainda está sendo avaliada pelas autoridades, que não indicaram quando ou se será aprovada.

O título da Samarco, negociado em dólar com cupom de 5,375 por cento e vencimento em setembro de 2024, subiu nesta segunda feira 0,75 centavo de dólar, para 47 centavos por dólar. O título perdeu quase metade de seu valor desde o desastre em novembro.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.