Negócios

Renault garante que vendas voltarão a crescer em 2013

Montadora registrou uma queda de 6,3% nas entregas globais em 2012, com recuo três vezes mais rápido na Europa


	Carro da Renault: companhia francesa informou que as vendas caíram para 2,55 milhões de veículos no ano passado
 (Divulgação)

Carro da Renault: companhia francesa informou que as vendas caíram para 2,55 milhões de veículos no ano passado (Divulgação)

DR

Da Redação

Publicado em 18 de janeiro de 2013 às 08h33.

Paris - A Renault prometeu nesta sexta-feira que as vendas voltarão a crescer neste ano, após a montadora registrar uma queda de 6,3 por cento nas entregas globais em 2012, com recuo três vezes mais rápido na Europa.

A companhia francesa --que nesta semana anunciou planos para cortar 7.500 empregos no mercado doméstico em quatro anos-- informou que as vendas caíram para 2,55 milhões de veículos no ano passado, na primeira queda desde 2008.

O recuo de 18 por cento nas vendas na Europa teve forte pEso no desmepenho mundial da Renault, enquanto as entregas em outras regiões subiram 1,9 por cento.

A estratégia internacional de vendas com base em veículos de baixo custo está "trazendo resultados", afirmou o presidente de vendas da Renault, Jerome Stoll, em nota. "Ainda assim, esse sucesso não compensou totalmente as vendas em queda na Europa".

A companhia afirmou que, mesmo assim, espera elevar o volume global de vendas em 2013, ao passo que o crescimento em mercados emergentes continua a superar a demanda europeia.

A montadora acrescentou prever uma queda de 3 por cento no mercado doméstico em 2013, ante alta de 3 por cento em todo o mundo.

Acompanhe tudo sobre:AutoindústriaEmpresasEmpresas francesasIndústriaIndústrias em geralRenaultVendas

Mais de Negócios

Após crise de R$ 5,7 bi, incorporadora PDG trabalha para restaurar confiança do cliente e do mercado

Após anúncio de parceria com Aliexpress, Magalu quer trazer mais produtos dos Estados Unidos

De entregadores a donos de fábrica: irmãos faturam R$ 3 milhões com pão de queijo mineiro

Como um adolescente de 17 anos transformou um empréstimo de US$ 1 mil em uma franquia bilionária

Mais na Exame