Quem é a ChemChina, a nova dona da Pirelli

Companhia estatal chinesa comprou controle da empresa italiana por 7,1 bilhões de euros

São Paulo – A China National Chemical Corp (ChemChina) tem pouco mais de10 anos de existência, mas já coleciona uma série de aquisições bilionárias. A última operação anunciada foi a compra da Pirelli por 7,1 bilhões de euros, nesta segunda-feira. 

A aquisição garantirá à companhia chinesa o controle da centenária italiana. Inicialmente, a  ChemChina terá 26,2% da Pirelli com a opção de comprar o restante das ações.

Fundada em maio de 2004, a ChemChina pertence ao governo chinês e figura como uma das maiores empresas do setor químico do país asiático. Suas áreas de atuação vão desde produção de produtos agroquímicos a processamento petroquímico. 

A companhia  está presente em 140 países e possui em seu portfólio cerca de 120 empresas. No ranking da Fortune, que reúne as 500 maiores companhias do mundo, a ChemChina ocupa a 276ª posição, com vendas de quase 40 bilhões de dólares anualmente. 

No setor de agroquímicos, o principal de atuação da companhia, a ChemChina detém 60% da israelense  Adama  – uma das maiores empresas do mundo em soluções de proteção ao cultivo e líder em produtos pós-patente.

Já nos negócios petroquímicos, a companhia tem capacidade aproximada de processar 25 milhões de toneladas métricas de óleo por ano. 

Aquisições

A compra da Pirelli é mais uma para a lista das inúmeras aquisições bilionárias realizadas pela companhia ao longo da última década.

Em 2006, a ChemChina comprou duas companhias francesas, a  Adisseo, que atua no setor de nutrição animal, e a operação de silicone na Rhodia. Em 2011, adquiriu o controle da Adama por 2,4 bilhões de dólares. 

A aquisição da Pirelli foi feita por meio da China National Tire & Rubber Co. (CNRC), subsidiária da ChemChina no setor de borrachas. A companhia é a maior produtora de mangueiras de freio automático e correias de alta resistência da China

Segundo comunicado, a operação vai criar valor industrial de longo prazo no setor de pneus, fortalecer os planos de desenvolvimento da Pirelli, reforçar a cobertura de zonas geográficas estratégicas e permitir à empresa dobrar seus volumes no mercado industrial de pneus.

“Estamos muito satisfeitos com a oportunidade. Queremos construir uma organização de classe mundial e líder no mercado de pneus”, afirmou Ren Jianxin, presidente da ChemChina, em nota. 

Os 26,2% adquiridos da companhia foram comprados do grupo Camfin, maior investidor individual da Pirelli.  A Camfin pertence à família Tronchetti Provera – sócia da Pirelli desde meados da década de 80.  

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.