Produção local altera mercado de carros de luxo, diz Audi

Além da Audi, Jaguar Land Rover, BMW e Mercedes Benz também produzirão carros de luxo no Brasil, o que irá transformar o mercado de luxo no Brasil

	Audi A3: Além da Audi, a produção nacional da Jaguar Land Rover, BMW e Mercedes Benz irá transformar o mercado de luxo no Brasil
 (Divulgação/Audi)
Audi A3: Além da Audi, a produção nacional da Jaguar Land Rover, BMW e Mercedes Benz irá transformar o mercado de luxo no Brasil (Divulgação/Audi)
Por Karin SalomãoPublicado em 17/11/2014 17:59 | Última atualização em 17/11/2014 17:59Tempo de Leitura: 16 min de leitura

São Paulo - A produção local irá mudar radicalmente o segmento de carros de luxo. Essa é a previsão de Jörg Hofmann, presidente da Audi no Brasil, que palestrou no evento Direções, da Quatro Rodas, nesta segunda-feira, 17.

Segundo Hofmann, a montadora está bastante otimista com o mercado brasileiro. A empresa anunciou a construção de uma nova linha de produção em sua fábrica em São José dos Pinhais, no Paraná, durante o Salão do Automóvel de São Paulo.

Jaguar Land Rover, BMW e Mercedes Benz também produzirão carros de luxo no Brasil. Com a maior presença de montadoras de luxo no Brasil, a tendência é que esse segmento ganhe cada vez mais força. Hofmann afirma que a isso “irá tornar o ambiente mais competitivo, claro”, mas que há muito potencial para crescer.

Um dos principais motivos para o investimento da Audi no Brasil é o crescimento das classes A e B, consumidores dos carros de luxo, segundo Hofmann.

Ele lembrou que o Brasil é o quarto maior mercado automobilístico, à frente até da Alemanha. O grande número de milionários também é um chamativo para a Audi, bem como para outras montadoras de luxo.

Na Alemanha, os carros mais luxuosos correspondem a 29% do mercado total. Nos Estados Unidos, são 10% e na China, 9%. A fatia de luxo no Brasil é de apenas 2%. Até 2020, Hofmann afirma que o market share desse segmento irá dobrar.

Para isso, a Audi irá investir R$500 milhões na construção de sua fábrica, que terá capacidade de produzir 26 mil carros por ano.

As vendas chegarão a 30 mil unidades em 2020 – para 2014, são estimados 12 mil carros vendidos. As concessionárias aumentarão de 23, em 2012, para 67 em 2020, com um investimento de R$300 milhões. 

A montadora alemã também está construindo um novo centro de treinamento para os funcionários. “Preparar pessoas para as vendas é uma das consequências da produção local”, afirmou. Novos serviços de revisão também estão nos planos da empresa.