Presidente da GM no Brasil é promovida e deixa o cargo

Grace Lieblein foi promovida ao cargo de vice-presidente global de compras e da cadeia de suprimentos da companhia

São Paulo – Um ano e meio após ter assumido o comando da General Motors do Brasil, terceira maior fabricante de veículos no País, a americana Grace Lieblein, de 52 anos, foi promovida ao cargo de vice-presidente global de compras e da cadeia de suprimentos da companhia. Em fevereiro, ela muda-se para Detroit (EUA), onde está a sede do grupo.

Formada em engenharia, Grace está na GM desde 1978 e foi a segunda mulher a assumir a presidência da filial brasileira. Ela substituiu a também americana Denise Johnson, que ficou no cargo apenas oito meses e deixou o grupo alegando razões pessoais. Atualmente, Denise dirige a Caterpillar nos EUA.

Jaime Ardila, presidente da GM América do Sul, acumulará temporariamente as atividades da presidência da montadora no País. Ele esteve à frente da filial brasileira entre 2007 e 2010 e, no episódio da saída de Denise, também foi interino por dois meses.

Em nota divulgada nesta terça-feira (18), a GM informou que Grace completou o processo de renovação de toda a linha de produtos da marca no Brasil. Em 15 meses, a empresa lançou nove modelos, dos quais sete neste ano, entre os quais o compacto Onix, o monovolume Spin e o utilitário-esportivo Trailblazer.

Nos últimos anos, quase todos os executivos que comandaram a GM do Brasil foram convocados para atuar na matriz. Dois deles, Rick Wagoner e Fritz Henderson chegaram ao topo da companhia que até 2008 foi a maior montadora do mundo por mais de sete décadas.

A GM do Brasil é a terceira maior operação do grupo, atrás dos EUA e da China. No mercado brasileiro, detém 17,7% das vendas, atrás da Fiat (23%) e da Volkswagen (21,1%). Neste ano, vendeu, até agora, 613,5 mil automóveis e comerciais leves.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.