Dez bilionários já perderam 111 bilhões de dólares com o coronavírus

Desde o início do ano, nove dos 10 maiores bilionários do mundo viram suas fortunas encolherem. A única exceção é Jeff Bezos, da Amazon

Com mercados em polvorosa em todo o mundo, as perdas financeiras causadas pela pandemia do coronavírus podem ser gigantescas. No caso das pessoas mais ricas do planeta, as perdas têm dimensões ainda maiores.

Desde o início do ano, nove dos 10 maiores bilionários do mundo viram suas fortunas encolherem. A perda somada foi de quase 111 bilhões até o dia 3 de abril.

A única exceção, entre os 10 mais ricos, é Jeff Bezos, presidente e fundador da Amazon. Com o isolamento social e mais pessoas recorrendo ao comércio eletrônico para se abastecer, a Amazon tem muito espaço para crescer.

Juntos, os 10 maiores bilionários do mundo têm 682 bilhões de dólares.

A maior perda ocorreu da noite para o dia. Em apenas um dia de março, os 10 maiores bilionários do mundo perderam quase 38 bilhões de dólares, de acordo com a Forbes, depois que a Organização Mundial da Saúde declarou a expansão do coronavírus como pandemia.  O dia 9 de março ficou conhecido como "Black Monday", com queda na no índice Dow Jones de quase 8%. Foi o pior dia para o mercado acionário americano desde 2008. Naquela semana, a perda combinada dos 10 maiores bilionários foi de 57 bilhões de dólares.

Além da pandemia do coronavírus, outras movimentações também levaram ricaços a perder parte de suas fortunas.

O antigo presidente da WeWork não é mais um bilionário. O fundador da companhia, Adam Neumann, perdeu boa parte do patrimônio após um anúncio do Softbank. O conglomerado japonês desistiu de uma oferta pública de aquisição de 3 bilhões de dólares em ações adicionais da WeWork, apesar de acordo feito no ano passado com acionistas, agravando ainda mais a crise da empresa de escritórios compartilhados.

De acordo com o índice de bilionários da Bloomberg, o patrimônio de Neumann encolheu 97% em menos de um ano. É estimado que ele tenha perdido cerca de 13,5 bilhões de dólares, ficando com um total de aproximadamente 450 milhões.

Veja abaixo as mudanças nas fortunas dos 10 maiores bilionários desde o início do ano.

Ranking Nome Fortuna Mudança desde o início do ano País Setor
1 Jeff Bezos US$ 118 bilhões US$ 2,69 bilhões Estados Unidos Tecnologia
2 Bill Gates US$ 97,0 bilhões -US$ 16,1 bilhões Estados Unidos Tecnologia
3 Warren Buffett US$ 70,3 bilhões -US$ 18,9 bilhões Estados Unidos Diversificado
4 Bernard Arnault US$ 67,7 bilhões -US$ 37,6 bilhões França Consumo
5 Mark Zuckerberg US$ 59,3 bilhões -US$ 19,1 bilhões Estados Unidos Tecnologia
6 Steve Ballmer US$ 56,5 bilhões -US$ 1,62 bilhão Estados Unidos Tecnologia
7 Larry Ellison US$ 55,1 bilhões -US$ 3,72 bilhões Estados Unidos Tecnologia
8 Larry Page US$ 53,8 bilhões -US$ 10,8 bilhões Estados Unidos Tecnologia
9 Rob Walton US$ 52,7 bilhões -US$ 1,50 bilhão Estados Unidos Varejo
10 Jim Walton US$ 52,5 bilhões -US$ 1,57 bilhão Estados Unidos Varejo

 

Veja abaixo os 10 bilionários que mais perderam dinheiro desde o início do ano.

Ranking Nome Fortuna Mudança desde o início do ano País Setor
4 Bernard Arnault US$ 67,7 bilhões -US$ 37,6 bilhões França Consumo
14 Amancio Ortega US$ 49,5 bilhões -US$ 25,9 bilhões Espanha Varejo
19 Carlos Slim US$ 39,0 bilhões -US$ 21,2 bilhões México Diversificado
18 Mukesh Ambani US$ 39,3 bilhões -US$ 19,3 bilhões Índia Energia
5 Mark Zuckerberg US$ 59,3 bilhões -US$ 19,1 bilhões Estados Unidos Tecnologia
3 Warren Buffett US$ 70,3 bilhões -US$ 18,9 bilhões Estados Unidos Diversificado
2 Bill Gates US$ 97,0 bilhões -US$ 16,1 bilhões Estados Unidos Tecnologia
28 Sheldon Adelson US$ 24,2 bilhões -US$ 14,4 bilhões Estados Unidos Entretenimento
15 Charles Koch US$ 48,7 bilhões -US$ 13,3 bilhões Estados Unidos Indústria
16 Julia Flesher Koch US$ 48,7 bilhões -US$ 13,3 bilhões Estados Unidos Indústria

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.