Netflix, Uber e Google anunciaram investimentos bilionários

Netflix anunciou que iria investir valores bilionários na produção de conteúdo próprio e exclusivo

São Paulo - Seja para financiar crescimento, seja para aumentar a participação em uma empresa promissora, três grandes empresas de tecnologia anunciaram investimentos esse mês.

Google investiu na Lyft, concorrente da Uber, da qual era parceira até um processo. A Uber recebeu investimentos da Softbank e a Netflix pediu empréstimos para financiar a produção de conteúdo próprio.

Veja abaixo mais sobre o que essas empresas pretendem com o caixa reforçado.

Google e Lyft

A Lyft recebeu um investimento de 1 bilhão de dólares da CapitalG, braço de investimentos da Alphabet, dona do Google.

A investidora já havia comprado uma fatia na Uber e era parceira da empresa no desenvolvimento de carros autônomos. No entanto, em fevereiro deste ano, a Waymo, desenvolvedora de carros da Google, processou a Uber alegando roubo de propriedade intelectual.

A Waymo se voltou, então, à Lyft para firmar essa parceria. Segundo a Forbes, o investimento bilionário sinaliza que o Google acredita no crescimento da Lyft e deseja ser mais que apenas um parceiro.

Uber

A Uber não ficou atrás. A plataforma de transporte aceitou um investimento da companhia japonesa SoftBank.

A investidora já tem fatias consideráveis em vários rivais, como a chinesa Didi Chuxing, Ola na Índia, Grab na Ásia e até na brasileira 99.

Segundo a CNN, a intenção do SoftBank é acumular participação nessas empresas para, algum dia, ter uma fatia valiosa em uma companhia resultante de fusões entre as rivais.

Para a Forbes, o investimento pode ser entre 5 e 7 bilhões de euros.

Netflix

Fazer maratonas de séries na Netflix é um bom negócio, pelo menos para a companhia de straming.

A companhia teve receitas de 2,99 bilhões de dólares no último trimestre, crescimento de 30%. Mais de 5,3 milhões de novos consumidores se inscreveram no serviço no último trimestre.

Grande parte desse crescimento vem do atrativo de conteúdos exclusivos que a empresa produz. De acordo com o Business Insider, a empresa irá lançar 80 filmes no próximo ano - em 2017, foram 50. A produção de conteúdo já é responsável por 25% dos gastos da companhia.

Na sua divulgação de resultados, no início da semana passada, a companhia afirmou que irá gastar ainda mais, entre 7 e 8 bilhões de reais no próximo ano na produção de conteúdo próprio.

Para financiar essa empreitada, ela irá arrecadar mais 1,6 bilhão em dívidas.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.