Maior acionista da Oi é multada em US$ 1,25 mi nos EUA

A Pharol, antiga Portugal Telecom, foi multada em US$ 1,25 milhão pela SEC por irregularidades na Rio Forte

Rio de Janeiro - A maior acionista individual da Oi, a Pharol (antiga Portugal Telecom), foi multada em US$ 1,25 milhão pela Securities and Exchange Commission (SEC, órgão regulador do mercado de capitais nos Estados Unidos).

A punição ocorreu por falha na comunicação do risco de crédito de investimento em papéis da Rio Forte, empresa do Grupo Espírito Santo (GES).

Em meio ao processo de fusão com a Oi, a antiga PT investiu em títulos podres da falida Rio Forte, o que gerou um rombo de € 897 milhões no seu caixa.

O problema veio à tona poucos meses após o aumento de capital da Oi, parte do processo de fusão. A dívida levou a uma reconfiguração da operação entre a brasileira e a portuguesa.

A SEC informou que, após investigação, detectou diversas falhas nas demonstrações financeiras da companhia portuguesa referentes a 2013.

"Como resultado dessas falhas, os investidores da PT foram impedidos de ter um retrato completo dos riscos resultantes dos investimentos da companhia em instrumentos de dívida do GES", diz o órgão norte-americano.

O texto informa ainda que as aplicações no GES representavam 82% dos investimentos de curto prazo da empresa portuguesa. Os controles de contabilidade da companhia são classificados como "insuficientes".

"O risco de crédito é informação relevante para os investidores e a Portugal Telecom não conseguiu garantir que os riscos de seus investimentos em títulos do Grupo Espírito Santo fossem completamente e com precisão divulgados em seus documentos públicos", disse Michele Layne, diretor do escritório regional da SEC em Los Angeles. A companhia portuguesa concordou em pagar a multa, sem admitir ou negar as acusações, informou o órgão.

Procurada, a Pharol disse estar satisfeita com o acordo fechado, conforme já manifestado anteriormente pelo seu presidente executivo, Luís Palha.

"Foram dois anos de investigações e uma estreita cooperação por parte da Pharol, mas que resultaram na extinção de qualquer outro tipo de acusação contra a companhia", diz a empresa, em comunicado.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.