Negócios

Lucro da Philips Lighting no 2º trimestre supera expectativa

O lucro ajustado antes de juros e amortização subiu 8%, para 174 milhões de euros, em comparação a um ano antes

Philips: a venda de seus sistemas conectados foi impulsionada pela adoção de plataformas como Apple HomePod e Google Home (Carla Gottgens/Bloomberg)

Philips: a venda de seus sistemas conectados foi impulsionada pela adoção de plataformas como Apple HomePod e Google Home (Carla Gottgens/Bloomberg)

R

Reuters

Publicado em 21 de julho de 2017 às 10h46.

Amsterdam - A Philips Lighting, maior fabricante de lâmpadas do mundo, divulgou um aumento maior do que o esperado no lucro do segundo trimestre, com uma melhora nas margens de suas divisões de LED e iluminação residencial ofuscando a queda nas vendas.

A companhia disse que a venda de seus sistemas de iluminação residencial conectados --uma pequena, mas crescente parte de seus negócios-- foram impulsionados pela adoção de plataformas de tecnologia para residências ativadas pela voz, como Amazon Echo, Apple HomePod, e Google Home.

O lucro ajustado antes de juros e amortização (Ebita, na sigla em inglês) subiu 8 por cento, para 174 milhões de euros no trimestre em comparação a um ano antes, com uma queda de 2 por cento nas vendas, para 1,70 bilhão de euros.

Os analistas pesquisados pela Reuters estimavam Ebita ajustado de 160 milhões de euros.

A Philips reiterou suas metas para o ano de 2017 de voltar a ter crescimento das vendas e melhorar a margem Ebita ajustada em 50 a 100 pontos, que subiu para 9,2 por cento no trimestre, ante 9,1 por cento no trimestre do ano anterior.

Acompanhe tudo sobre:EmpresasLucroPhilips

Mais de Negócios

Cacau Show, Chilli Beans e mais: 10 franquias no modelo de contêiner a partir de R$ 30 mil

Sentimentos em dados: como a IA pode ajudar a entender e atender clientes?

Como formar líderes orientados ao propósito

Em Nova York, um musical que já faturou R$ 1 bilhão é a chave para retomada da Broadway

Mais na Exame