Negócios

Jequiti cria "WhatsApp" para falar direto com consultoras

Batizado de Zap Jequiti, o aplicativo possibilita o envio de pedidos, a simulação de vendas e consultas ao estoque em tempo real


	Jequiti: gastos com telefonia da empresa caíram 15% no primeiro mês de uso do Zap Jequiti
 (Jequiti/Divulgação)

Jequiti: gastos com telefonia da empresa caíram 15% no primeiro mês de uso do Zap Jequiti (Jequiti/Divulgação)

Luísa Melo

Luísa Melo

Publicado em 9 de dezembro de 2015 às 10h05.

São Paulo - A Jequiti, fabricante de cosméticos do Grupo Silvio Santos, criou uma espécie de WhatsApp corporativo para se comunicar com as consultoras.

Batizado de Zap Jequiti, o aplicativo possibilita o envio de pedidos, a simulação de vendas e consultas ao estoque em tempo real.

O sistema, desenvolvido pela GVP IT Solutions, também notifica sobre promoções e envia informações de pagamentos.

O app foi lançado em versão beta há cerca de dois meses e ficou disponível para todas as consultoras em dezembro. Ele funciona tanto para Android quanto para iOS e já conta com mais 8.000 downloads.

Antes do aplicativo, para registrar seus pedidos, as vendedoras precisavam enviar um e-mail ou ligar para a central de vendas. Com ele, o processo ficou mais eficiente, segundo a Jequiti.

“As mensagens instantâneas permitem que o operador atenda mais de duas pessoas ao mesmo tempo e a consultora também se poupa de ficar pendurada em espera, como no atendimento por voz”, dise Rodrigo Onias, gerente de administração de Vendas da companhia, em nota.

De acordo com ele, no primeiro mês de implantação do Zap Jequiti, o tempo de resposta às consultoras caiu 50% e os gastos com telefonia da empresa diminuíram em 15%.

Acompanhe tudo sobre:AppsCosméticosEmpresasgestao-de-negociosindustria-de-cosmeticosJequitivendas-diretas

Mais de Negócios

20 franquias baratas para empreender em cidades do interior a partir de R$ 6.998

Geração Z é a que mais pede comida via delivery; fast-food lidera preferências

Justiça condena Ypê por assédio eleitoral ao fazer live pró-Bolsonaro em 2022

Após venda de empresa, novo bilionário britânico vai compartilhar US$ 650 milhões com funcionários

Mais na Exame