Hyundai volta atrás sobre negociações com Apple para carro elétrico

A notícia levou a um aumento de US$ 8 bilhões no valor de mercado da montadora sul-coreana na sexta-feira

A Hyundai Motor voltou atrás sobre um comunicado que confirmava negociações com a Apple sobre o desenvolvimento de um carro autônomo. A notícia levou a um aumento de US$ 8 bilhões no valor de mercado da montadora sul-coreana na sexta-feira, mas a Hyundai posteriormente disse que recebeu pedidos de possível cooperação de várias empresas.

Ao revisar seu comunicado pela segunda vez em questão de horas, a Hyundai disse que foi contatada por potenciais parceiros para o desenvolvimento de veículos elétricos autônomos, excluindo qualquer referência à Apple. As ações da Hyundai chegaram a subir 19% com a notícia publicada inicialmente pela mídia coreana sobre negociações com a empresa dos Estados Unidos e reduziram ligeiramente os ganhos depois que o comunicado confirmando as discussões foi revisado.

Ao citar a Apple inicialmente, a Hyundai arrisca desagradar a gigante da tecnologia, conhecida por seu sigilo quando se trata de novos produtos e parcerias. Com o desenvolvimento ainda em estágio inicial, a Apple levará pelo menos cinco anos para lançar um veículo elétrico autônomo, pessoas com conhecimento do assunto disseram anteriormente à Bloomberg News. Isso sugere que a empresa não tem pressa em decidir sobre potenciais parceiros da indústria automobilística.

O salto da ação da Hyundai em Seul foi o maior desde 1988. Uma unidade de TV a cabo do Korea Economic Daily informou pela primeira vez sobre as conversas com a Apple. Segundo a reportagem, a Hyundai teria concluído negociações internas sobre o projeto e estaria aguardando a aprovação do presidente do conselho.

Depois da notícia, a Hyundai inicialmente divulgou comunicado dizendo que estava entre as várias montadoras com as quais a Apple teve contato inicial. A empresa coreana então revisou a declaração menos de 30 minutos depois, excluindo a referência a outras montadoras. Poucas horas depois disso, divulgou outra revisão que omitia a Apple:

“Temos recebido pedidos de possível cooperação de várias empresas em relação ao desenvolvimento de veículos elétricos autônomos”, disse a versão mais recente. “Nenhuma decisão foi tomada, pois as conversas estão em estágio inicial.”

A Apple não quis comentar.

A fabricante do iPhone, com sede em Cupertino, Califórnia, é notoriamente sigilosa com funcionários e fornecedores. Em 2018, alertou funcionários para que parassem de vazar informações sobre planos futuros e sinalizou possíveis ações judiciais e acusações criminais, dizendo em memorando interno que havia identificado 29 pessoas que vazaram informações no ano anterior. Em 2012, o CEO da Apple, Tim Cook, havia prometido reforçar medidas para manter os projetos da empresa sob sigilo.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.