HRT vende helicópteros e busca comprador para quatro sondas

Anúncio ocorre após a empresa ter divulgado que seu segundo poço da campanha exploratória na costa da Namíbia, na África, foi considerado seco

São Paulo - A petroleira HRT fechou contrato para vender seu negócio de logística aérea e iniciou o processo de alienação de quatro sondas de perfuração e de seu laboratório de prestação de serviços geoquímicos, para fortalecer sua posição de caixa.

O anúncio ocorre após a empresa ter divulgado, na sexta-feira passada, que seu segundo poço da campanha exploratória na costa da Namíbia, na África, foi considerado seco. O primeiro poço da HRT na região foi abandonado em maio após a descoberta de óleo sem volume comercial.

Às 11h05, a ação da HRT recuava 10,89 por cento na bolsa paulista, a 1,80 real. O papel não integra a carteira teórica do Ibovespa, que subia 0,79 por cento.

Além de atuar na costa africana, a HRT tem campanha exploratória na região amazônica. No começo de julho, a empresa criou um comitê para avaliar a venda de ativos, depois de ter reduzido significativamente o programa exploratório na Bacia do Solimões, na Amazônia.

Em fato relevante nesta segunda-feira, a HRT disse que a Erickson Air-Crane vai comprar seis dos 14 helicópteros da petroleira, por um valor entre 26 milhões e 40 milhões de dólares, dependendo do cumprimento de determinadas cláusulas contratuais.

A compradora vai prestar serviços aéreos para a HRT e terá preferência na aquisição dos oito helicópteros remanescentes, avaliados em cerca de 30 milhões de dólares.

HRT e Erickson Air-Crane já discutiam a transação desde o fim de 2012. A expectativa é que o negócio seja concluído no terceiro trimestre.

A HRT também anunciou nesta manhã que iniciou as discussões com "empresas líderes de mercado" para a venda de seu laboratório de serviços geoquímicos, a IPEXco.

A empresa negocia, ainda, a venda de quatro sondas de perfuração helitransportáveis com capacidade para perfurar até quatro mil metros de profundidade --com valor de mercado estimado entre 40 milhões e 50 milhões de dólares.

"Este processo estratégico de desinvestimento é focado em concentrar esforços em nossa atividade exploratória e no processo de transição e operação do campo de Polvo, bem como recuperar recursos financeiros importantes para fortalecer a posição de caixa da HRT", disse o diretor-presidente da HRT, Milton Franke.

A HRT fechou acordo com a BP Energy do Brasil em maio para a aquisição de 60 por cento de participação no Campo de Polvo, na Bacia de Campos, por 135 milhões de dólares. A produção diária de Polvo é de 13 mil barris de petróleo por dia, segundo a HRT.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.