HRT vê reservas crescerem em 1,6 bilhão de barris com novo laudo da UNX

HRT comprou a empresa canadense em meados de fevereiro

São Paulo – A HRT, a mais nova petroleira brasileira listada na Bovespa, chega às vésperas do Carnaval com motivos para comemorar. As reservas ajustadas da UNX, que foi comprada pela HRT em fins de fevereiro, viu suas reservas crescerem em 1,673 bilhão de barris de óleo equivalentes (boe). O estudo refere-se aos blocos 2813A e PEL 2815, que a UNX possui na costa da Namíbia.

De acordo com comunicado da UNX, a empresa canadense possui 40% de participação no poço PEL 2813, tendo, como sócio, a Acarus Investments, uma empresa da Namíbia, que detém 20%. Com isso, a UNX divulgou um comunicado elevando suas reservas líquidas ajustadas para 4,519 bilhões de boe.

Trata-se de um reforço e tanto para a HRT. Para se ter uma ideia, em dezembro, a companhia divulgou que suas reservas certificadas eram de 2,073 bilhões de boe, com base em um relatório também da D&M.

Sorte grande

A HRT anunciou a compra da UNX em 24 de fevereiro. O valor da transação pode alcançar 1,3 bilhão de reais. Na ocasião, a empresa brasileira afirmou que a UNX possui boas sinergias com suas operações, já que ambas detêm blocos de exploração da Namíbia. A HRT possui cinco blocos, e a UNX tem direitos de exploração sobre uma área de 51.000 quilômetros quadrados.

A HRT abriu seu capital em outubro do ano passado, e levantou 2,6 bilhões de reais. Além da Namíbia, a empresa também está perfurando poços na bacia do rio Solimões, no Amazonas. A exploração de petróleo em terra vai na contramão da tão badalada extração em águas ultraprofundas, capitaneada pela Petrobras e que culminou na descobertas do pré-sal. De qualquer modo, a HRT espera iniciar a produção ainda neste ano, atingindo um volume de 100.000 barris diários em 2014.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.