Entenda como Avianca será companhia low-cost e terá salas VIP

Companhia aérea saiu da recuperação judicial e tem plano para aumentar em 20% a capacidade de passageiros nos voos
Companhia aérea prevê passagens até 30% mais baratas em 2025 quando comparadas aos preços de 2019 (Exame/Paulo Lopes/Futura Press)
Companhia aérea prevê passagens até 30% mais baratas em 2025 quando comparadas aos preços de 2019 (Exame/Paulo Lopes/Futura Press)
Por Gabriel AguiarPublicado em 09/12/2021 17:39 | Última atualização em 10/12/2021 11:06Tempo de Leitura: 3 min de leitura

A Avianca saiu da recuperação judicial após 18 meses em processo de reorganização sob o capítulo 11 da Lei de Falência dos Estados Unidos e já tem o plano definido para os próximos meses: brigar diretamente com as companhias aéreas low-cost. Para isso, prevê mudanças nas rotas — que já não terão mais conexão na capital colombiana Bogotá — e também na frota de aeronaves.

Com o sobe e desce do mercado, seu dinheiro não pode ficar exposto. Aprenda como investir melhor.

Eficiência na operação

Para começar, a empresa voará somente modelos Airbus A320 e Boeing 787, para rotas domésticas e internacionais, respectivamente. Essa unificação da linha permitirá otimizar a logística e baixar os custos de operação. Também serão inauguradas novas categorias de passagens, que terão direito a comodidades como bagagens adicionais e poltronas mais confortáveis (pagos à parte).

Haverá três “classes” para a cabine: na economy, mais barata, as poltronas serão fixas e têm apoios de cabeça embutidos; na plus, intermediária, as poltronas são reclináveis e têm regulagem do apoio de cabeça; na premium, mais cara, o espaço é maior e o assento central é transformado em console. Todos têm tomada USB. Como resultado, a capacidade de passageiros aumentou 20%.

“Temos de entender que os clientes voam com Avianca porque é um produto melhor. Mas se não olharmos para quem voa com low-cost, perderemos cada vez mais relevância. E nós reconhecemos que voar já não mais um luxo e sim algo básico”, diz Adrian Neuhauser, CEO da companhia, durante a coletiva de apresentação do plano, citando os erros de Kodak, Yahoo e Blockbuster.

Passagens aéreas mais baratas

Pela previsão do executivo, a Avianca terá mais voos e passageiros em 2023 que antes da pandemia — sendo que o processo de atualização das aeronaves deve terminar apenas no fim do próximo ano. Durante a apresentação, Neuhauser garantiu que os preços já estão cerca de 15% mais baratos que eram em 2019. Só que, para 2025, a expectativa é que os valores baixem em até 30%.

Por outro lado, a companhia pretende manter os diferenciais em relação às concorrentes puramente focadas em baixo custo, como acesso a salas VIP dos aeroportos; viagens internacionais com longas distâncias; parceria com a Star Alliance (da qual também fazem parte Copa, Lufthansa, TAP e United, por exemplo); além do programa fidelidade LifeMiles, que pode ganhar mais benefícios.

Seremos uma low-cost? Não. Mas faremos o que as low-cost fazem. Teremos todas as vantagens de milhagens e parcerias, além de maior frequência de voos. Só que também vamos focar em aumentar a eficiência operacional para baixar preços, oferecer serviços personalizáveis para quem quiser levar bagagem ou salas VIP. Quem quiser pagar mais barato, terá a opção”, afirma Neuhauser.

Aprenda a empreender com a shark Carol Paiffer no curso Do Zero Ao Negócio. Garanta sua vaga:

Veja Também

Tribunal dos EUA aprova plano de restruturação da Latam
Negócios
Há 6 dias • 3 min de leitura

Tribunal dos EUA aprova plano de restruturação da Latam