Negócios
Acompanhe:

Eike Batista vende controle da IMX para Mubadala

O fundo agora tem o controla da holding de negócios nos setores de esportes e entretenimento, que antes era do empresário


	Eike Batista: empresário vendeu o controle da IMX para seu principal credor, o fundo Mubadala
 (Douglas Engle/Bloomberg News)

Eike Batista: empresário vendeu o controle da IMX para seu principal credor, o fundo Mubadala (Douglas Engle/Bloomberg News)

M
Mariana Fonseca

8 de janeiro de 2015, 20h58

São Paulo - A IMX não pertence mais a Eike Batista. O empresário vendeu o controle da empresa para o fundo Mubadala, de Abu Dhabi, segundo o jornal Valor Econômico.

O fundo, que é o principal credor de Eike, agora tem o controle da holding de negócios em esportes e entretenimento.

Ainda segundo o jornal, a IMG Worldwide também tem participação no capital da IMX. A empresa americana estava entre as cotadas para adquirir a participação de Eike na IMX.

O Mubadala foi criado em 2002 e tem participações em diversos setores da indústria, como energia, saúde, infraestrutura, setores financeiro, aeroespacial e imobiliário, além de possuir participação em empresas de serviços e comunicação.

Já a IMX é sócia do Cirque du Soleil e do Rock in Rio, além de fazer parte do consórcio que administra o Maracanã, por exemplo. 

Histórico

A empresa de negócios no setor de esportes e entretenimento é apenas mais uma das vendas do empresário.

Eike Batista já foi o sétimo homem mais rico do mundo, de acordo com a Forbes. Ele já se desfez de empresas, jatinhos e até mesmo de seu iate com o objetivo de acertar as contas com os credores.

O empresário sofre acusações pelos crimes de uso de informação privilegiada ("insider trading") e de manipulação de mercado.

A tentativa de colocar o ex-bilionário na prisão acontece menos de três anos depois de Eike Batista ter sido chamado de “orgulho do Brasil” pela presidente Dilma Rousseff.

Em 2015, a Justiça deverá dar uma sentença sobre o caso.