Negócios

Dia do Solteiro: Alibaba bate recorde apesar da pressão da China

A empresa do magnata Jack Ma anunciou vendas de US$ 84,5 bilhões durante este evento similar à "Black Friday" dos Estados Unidos

Sede do Alibaba (BABA34) (Aly Song/File Photo/Reuters)

Sede do Alibaba (BABA34) (Aly Song/File Photo/Reuters)

A

AFP

Publicado em 12 de novembro de 2021 às 11h05.

O gigante do comércio digital Alibaba bateu um recorde de vendas durante o "Dia dos Solteiros", a maior data anual de compras na China, apesar de uma tímida campanha promocional, devido à pressão do governo sobre as empresas de tecnologia. 

Na mira das autoridades chinesas em sua campanha contra os gigantes locais da Internet, a empresa do magnata Jack Ma anunciou vendas de 540,3 bilhões de iuanes (US$ 84,5 bilhões) durante este evento similar à "Black Friday" dos Estados Unidos.

Junto com seu grande concorrente na indústria do comércio pela Internet, chegaram a 889 bilhões de iuanes (US$ 139,4 bilhões), uma cifra que supera o Produto Interno Bruto (PIB) de países como Porto Rico, Cuba, ou Equador.

Este valor representou um recorde de vendas e um aumento de aproximadamente 20% em relação ao ano anterior, apesar de uma campanha prévia de baixo perfil, diante da pressão do governo contra o consumismo e as promoções agressivas.

O Dia dos Solteiros começou há mais de uma década como um evento de 24 horas.

No entanto, o Alibaba e seus concorrentes expandiram-no com promoções de 1º a 11 de novembro, e alguns vendedores e plataformas começam a oferecer descontos e ofertas especiais em outubro.

As plataformas digitais registraram fortes vendas de itens como eletrodomésticos, eletrônicos, produtos para animais de estimação, ou cosméticos.

Preocupadas com o crescente poder e o domínio do mercado das grandes empresas de tecnologia, as autoridades chinesas endureceram a regulação do setor.

No comércio eletrônico, o governo tem tentado controlar o uso de dados dos usuários e acabar com práticas monopolistas, como o veto que algumas plataformas fazem de produtos da concorrência.

yt thumbnail

 

Acompanhe tudo sobre:AlibabaChinaPromoções

Mais de Negócios

De entregadores a donos de fábrica: irmãos faturam R$ 3 milhões com pão de queijo mineiro

Como um adolescente de 17 anos transformou um empréstimo de US$ 1 mil em uma franquia bilionária

Um acordo de R$ 110 milhões em Bauru: sócios da Ikatec compram participação em empresa de tecnologia

Por que uma rede de ursinho de pelúcia decidiu investir R$ 100 milhões num hotel temático em Gramado

Mais na Exame