Negócios

CVM abre processo para analisar renúncia de Graça Foster

A divulgação da saída dos executivos mereceu um comunicado de apenas três linhas da estatal, divulgado na manhã de quarta-feira após uma provocação do órgão


	Graça Foster: ao longo de toda a semana, a CVM vem cobrando explicações da Petrobras
 (Ueslei Marcelino/Reuters)

Graça Foster: ao longo de toda a semana, a CVM vem cobrando explicações da Petrobras (Ueslei Marcelino/Reuters)

DR

Da Redação

Publicado em 5 de fevereiro de 2015 às 20h05.

Rio - A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) abriu nesta quinta-feira, 5, um processo administrativo para analisar a renúncia da presidente da Petrobras, Graça Foster, e de cinco diretores da companhia.

A divulgação da saída dos executivos mereceu um comunicado de apenas três linhas da estatal, divulgado na manhã de quarta-feira após uma provocação do órgão.

Ao longo de toda a semana, a CVM vem cobrando explicações da Petrobras.

Tudo começou na terça-feira, quando Graça Foster passou boa parte do dia em uma reunião a portas fechadas com a presidente Dilma Rousseff, em Brasília.

O encontro entre Dilma e Graça alimentou a expectativa do mercado sobre a saída da executiva do comando da empresa.

O resultado foi que as ações da petroleira dispararam no pregão da Bovespa.

A Bolsa também pediu explicações sobre a disparada e as notícias.

A resposta veio sucinta e foi o gatilho para novas perguntas da CVM.

Depois de mais um dia inteiro de rumores em torno de quem seriam os diretores envolvidos na renúncia coletiva, a Petrobras finalmente publicou os nomes, a essa altura já largamente noticiados pela imprensa.

Acompanhe tudo sobre:Capitalização da PetrobrasCVMEmpresasEmpresas abertasEmpresas brasileirasEmpresas estataisEstatais brasileirasExecutivos brasileirosGás e combustíveisGraça FosterIndústria do petróleoMulheres executivasPetrobrasPetróleo

Mais de Negócios

A rota da KLM para transformar viagens em conexões inesquecíveis

De pequena lanchonete à franquia bilionária: o que o sucesso do McDonald’s ensina aos empreendedores

Desenrola Pequenos Negócios renegocia R$ 1,25 bilhão até 12 de junho

Executivos veem a inteligência artificial como um “divisor de águas”

Mais na Exame