Conheça as 10 maiores empresas de varejo do Brasil

Com Carrefour no topo, varejistas com os maiores faturamentos são, em sua maioria, redes de supermercados; veja lista
Carrefour: empresa francesa é a maior varejista do país, segundo o ranking IBEVAR (Germano Lüders/Exame)
Carrefour: empresa francesa é a maior varejista do país, segundo o ranking IBEVAR (Germano Lüders/Exame)
M
Maria Clara Dias

Publicado em 09/08/2022 às 06:00.

Última atualização em 10/08/2022 às 14:08.

Uma pesquisa da escola de negócios Fundação Instituto de Administração (FIA) e do Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo & Mercado de Consumo (IBEVAR), de pesquisas e conteúdos sobre o varejo, selecionou as 120 empresas do varejo brasileiro com as maiores receitas em 2021.

Em primeiro lugar na lista das empresas varejistas com os maiores faturamentos está a rede francesa Carrefour, com uma receita anual de R$ 81,1 bilhões em 2021. Na sequência estão Assaí, Magazine Luiza, Via e Lojas Americanas.

As maiores empresas varejistas do Brasil

2. Assaí (R$ 45,6 bilhões)
3. Magazine Luiza (R$ 42,9 bilhões);
4. Via (R$ 36,3 bilhões);
5. Lojas Americanas (R$ 32,2 bilhões);
6. Grupo Pão de Açúcar (R$ 29 bilhões);
7. Raia Drogasil (R$ 25,6 bilhões);
8. Grupo BIG (R$ 23,1 bilhões);
9. Grupo Boticário (R$ 18,1 bilhões);
10. Mateus Supermercados S.A (R$ 17,9).

Juntas, as primeiras cinco empresas da lista representam 32,4% do total de faturamento de todas listadas.

Além dos supermercados, segmento no qual o Carrefour ganha destaque, outros 28 segmentos também foram considerados pela pesquisa. Entre eles o de farmácias e drogarias e também franquias. Veja, abaixo, outras categorias avaliadas e seus respectivos líderes de setor, segundo a pesquisa IBEVAR - FIA.

  • Farmácias e drogarias: Raia Drogasil (R$ 26,6 bilhões);
  • Material de construção: St Gobain Brasil (R$ 11,5 bilhões);
  • Fast Food: McDonald’s (R$ 5,6 bilhões);
  • Varejo especializado: Cacau Show (R$ 2,9 bilhões);
  • Loja de Departamentos: Lojas Americanas (R$ 27,6 bilhões);
  • Franquias: O Boticário (R$ 18,1 bilhões);
  • Moda e esporte: Lojas Renner (R$ 14,4 bilhões)