• AALR3 R$ 20,29 0.74
  • AAPL34 R$ 67,40 -2.05
  • ABCB4 R$ 16,73 -0.18
  • ABEV3 R$ 14,19 0.78
  • AERI3 R$ 3,63 -6.20
  • AESB3 R$ 10,65 -2.92
  • AGRO3 R$ 31,02 -0.29
  • ALPA4 R$ 20,82 0.29
  • ALSO3 R$ 19,01 0.00
  • ALUP11 R$ 27,28 -0.11
  • AMAR3 R$ 2,40 -2.83
  • AMBP3 R$ 30,55 -1.99
  • AMER3 R$ 22,85 -5.07
  • AMZO34 R$ 63,86 -2.50
  • ANIM3 R$ 5,26 -1.87
  • ARZZ3 R$ 79,90 0.49
  • ASAI3 R$ 15,91 0.25
  • AZUL4 R$ 20,78 -5.37
  • B3SA3 R$ 12,02 -0.66
  • BBAS3 R$ 37,75 -0.57
  • AALR3 R$ 20,29 0.74
  • AAPL34 R$ 67,40 -2.05
  • ABCB4 R$ 16,73 -0.18
  • ABEV3 R$ 14,19 0.78
  • AERI3 R$ 3,63 -6.20
  • AESB3 R$ 10,65 -2.92
  • AGRO3 R$ 31,02 -0.29
  • ALPA4 R$ 20,82 0.29
  • ALSO3 R$ 19,01 0.00
  • ALUP11 R$ 27,28 -0.11
  • AMAR3 R$ 2,40 -2.83
  • AMBP3 R$ 30,55 -1.99
  • AMER3 R$ 22,85 -5.07
  • AMZO34 R$ 63,86 -2.50
  • ANIM3 R$ 5,26 -1.87
  • ARZZ3 R$ 79,90 0.49
  • ASAI3 R$ 15,91 0.25
  • AZUL4 R$ 20,78 -5.37
  • B3SA3 R$ 12,02 -0.66
  • BBAS3 R$ 37,75 -0.57
Abra sua conta no BTG

GM lucra R$ 72 com carro elétrico mais vendido do mundo – e está tudo bem

Wuling Hong Guang MINI EV deverá render mais de R$ 28,8 milhões e emplacar 400.000 unidades neste ano
 (Divulgação/Wuling)
(Divulgação/Wuling)
Por Gabriel AguiarPublicado em 02/08/2021 19:01 | Última atualização em 02/08/2021 20:04Tempo de Leitura: 3 min de leitura

O Wuling Hong Guang MINI EV é o carro elétrico mais vendido do mundo. E existe um detalhe curioso: a General Motors – dona da Chevrolet e também da marca chinesa – lucra 89 yuans por unidade. E isso dá somente 72 reais na conversão direta. Só que é na escala que a proposta faz sentido, porque, neste ano, a ideia é comercializar 400 mil unidades desse modelo (e embolsar 28,8 milhões de reais).

Máquina de fazer dinheiro

Considerando que a versão de entrada custa apenas 28.800 yuans, ou seja, cerca de 23 mil reais, a apertada margem revelada pelo site chinês Xcar não chega a ser surpreendente. Mas ainda existe outra forma de ganhar dinheiro com o MINI EV, já que, todos os anos, os fabricantes são analisados pelo governo e somam pontos a cada veículo elétrico vendido (e também perdem a cada modelo a combustão).

Isso criou um mercado de créditos, que podem ser distribuídos dentro do portfólio de cada fabricante, e, em caso de saldo positivo, vendidos a outras empresas que produziram mais modelos poluentes. Sendo assim, cada unidade do MINI EV rende 3 mil yuans em pontos à Wuling e à General Motors. Em conversão direta, daria 2.393 reais. E, de acordo com a imprensa chinesa, o compacto recebe dois créditos.

Carro (literalmente) urbano

Talvez pensando na facilidade de produção – afinal, somente esse modelo será responsável por metade do volume de automóveis que foram comercializados no mercado brasileiro desde janeiro –, há apenas uma motorização, com 27 cv de potência e 8,7 kgfm de torque. Para ter ideia, é (muito) menos que um Renault Kwid, com 70 cv e 9,8 kgfm. Mas a autonomia tem opções com 120 km e 170 km.

Não bastasse a velocidade máxima limitada a 100 km/h, o tamanho também entrega que a proposta do Wuling Hong Guang MINI EV é totalmente urbana. Afinal, o modelo tem 2,91 metros de comprimento; 1,49 metro de largura; 1,62 metro de altura; e só 1,94 metro de entre-eixos. E é possível escolher entre duas configurações de cabine: espaço para passageiros atrás ou 741 litros de porta-malas.

Nova categoria de entrada

Essa nova categoria de veículos compactos tem atraído a atenção dos fabricantes no mercado chinês e também recebido incentivos do governo local. Isso porque, dependendo da cidade, a venda de carros a combustão pode levar meses, já que acontece por meio de leilão – enquanto os modelos elétricos têm benefícios fiscais, com isenção de taxas e impostos. Por isso, novas opções estão surgindo.