Bradesco se surpreende com queda da inadimplência até março

Segundo banco, queda de 0,1 ponto percentual, apesar de pequena, já pode sinalizar melhora do índice ao longo do ano

São Paulo – O lucro líquido do Bradesco cresceu 4,5% no primeiro trimestre do ano na comparação com o mesmo período de 2012, totalizando 2,9 bilhões de reais. E um dos fatores que impactaram positivamente esse aumento foi a queda da inadimplência superior a 90 dias do banco, que caiu de 4,1% em março de 2012, para 4% no mesmo mês deste ano.

Segundo Luiz Carlos Angelotti, diretor executivo do Bradesco, a inclinação, embora pequena, já sinaliza melhora do índice durante o ano. “Principalmente, porque ela veio de um dos segmentos que mais sofrem nos três primeiros meses do ano: o de pessoa física. Esse segmento impactou positivamente o índice e a queda deve ser gradativa ao longo do ano”, afirmou o executivo, em teleconferência com a imprensa, nesta segunda-feira.

Para o resto do ano, Angelotti acredita que a queda da inadimplência deve ocorrer de forma mais consistente, pois há uma expectativa de crescimento da economia e alto índice de emprego. 

"No ano passado, realizamos uma modificação no mix das nossas carteiras de crédito e com isso aumentamos a inadimplência do banco. Neste ano, o cenário é mais positivo e existe grande expectativa que a inadimplência se ajuste a patamares melhores. Estamos priorizando a qualidade do crédito", disse o executivo.

Crédito

O Bradesco encerrou o primeiro trimestre com uma carteira de crédito expandida de 391,6 bilhões de reais, alta de 11,6% na comparação com o ano passado. No segmento de pessoa física, os maiores crescimentos foram do crédito consignado, que cresceu mais de 50% e financiamento imobiliário. Já na pessoa jurídica, os destaques ficaram com o financiamento à exportação e financiamento imobiliário, plano empresário.

De acordo com Angelotti, são essas mesmas linhas que devem continuar a crescer ao longo de 2013. Com destaque também para cartão de crédito, principalmente por conta das melhores condições das taxas cobradas pelo banco aos clientes.

O Bradesco manteve o guidance de crescimento da carteira de crédito para 2013, que deve ficar entre 13% e 17% neste ano na comparação com 2012. “Acreditamos que um meio termo desses dois números, ou seja, 15%, seja alcançado pelo banco ao longo do ano”, disse o executivo.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.