Viúvas de Bin Laden acusadas de entrar ilegalmente no Paquistão

O ministro do Interior paquistanês explicou que o processo foi registrado pela FIA e que lhes atribuiu a acusação de terem entrado de maneira ilegal no Paquistão

Islamabad – O governo do Paquistão anunciou nesta quinta-feira que apresentou uma acusação perante os tribunais contra as três viúvas de bin Laden que viviam em território paquistanês junto com o líder da Al Qaeda até sua morte em maio do ano passado.

O ministro do Interior paquistanês, Rehman Malik, explicou à imprensa que o processo foi registrado pela Agência de Investigação Federal (FIA) e que lhes atribuiu a acusação de terem entrado de maneira ilegal no Paquistão, segundo a imprensa local.

Malik não especificou a data em que a FIA apresentou o processo nem ofereceu grandes detalhes sobre o mesmo.

As mulheres estiveram junto com vários menores sob custódia das autoridades paquistanesas desde sua detenção em maio após a operação unilateral dos Estados Unidos que matou bin Laden na cidade de Abbottabad, no norte do país.

Malik também esclareceu que os mencionados menores, muitos deles filhos do falecido terrorista, estão sendo amparados atualmente em uma residência de Islamabad e especificou que não serão julgados.

‘Se as mães quiserem, (as crianças) podem retornar a seus países’, disse, sem especificar quais seriam seus destinos, o ministro paquistanês de Interior, citado pelo canal ‘Express’.

A imprensa especula que o líder da Al Qaeda viveu com sua família em um sítio de Abbottabad durante cinco anos. 

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.