Mundo

Ucrânia sofre piores apagões desde a invasão russa, diz Zelensky

Zelensky acusou a Rússia de danificar mais de metade da geração de energia ucraniana e instou os aliados ocidentais a acelerarem a entrega de defesas aéreas

Propaganda de alistamento em Kiev é o único ponto de luz durante apagão na capital (AFP Photo)

Propaganda de alistamento em Kiev é o único ponto de luz durante apagão na capital (AFP Photo)

Publicado em 24 de junho de 2024 às 06h35.

Os ucranianos estão lidando de forma mais frequente com apagões generalizados após a Rússia intensificar ataques contra a infraestrutura do país.

De acordo com informações do Guardian, nos últimos meses Moscou fez mais ações estratégicas contra a rede de energia da Ucrânia. Na última sexta, por exemplo, as instalações do país foram alvo de um “ataque massivo”, segundo o Ministério da Energia da Ucrânia. Vários trabalhadores ficaram feridos em consequência de bombardeios em uma das instalações.

Volodomyr Zelensky disse recentemente que a Rússia danificou ou destruiu mais de metade da geração de energia da Ucrânia, causando os piores apagões desde o início da invasão, em 2022.

A Ucrânia começou a implementar apagões progressivos em 15 de maio, desligando distritos inteiros da capital da rede elétrica para poupar energia.

Num discurso proferido no sábado à noite, Zelensky instou os aliados ocidentais a acelerarem a entrega de defesas aéreas. “Os modernos sistemas de defesa aérea para a Ucrânia – como os Patriots, o treino acelerado dos nossos pilotos para os F-16 e, o mais importante, o alcance suficiente das nossas armas – são verdadeiramente necessários”, disse o presidente ucraniano.

A Ucrânia tem pelo menos quatro sistemas Patriot, fornecidos pelos EUA e pela Alemanha. Desde que Zelensky fez repetidos apelos por armas de defesa adicionais, a Alemanha, a Romênia e os EUA comprometeram-se, cada um, a enviar a Kiev um sistema Patriot, segundo o Guardian.

Na sexta-feira, a Holanda anunciou que, em colaboração com outro país não identificado, forneceria à Ucrânia um sistema adicional de mísseis Patriot. Zelenskiy disse que a Ucrânia precisa de sete deles para “proteger as nossas principais aglomerações urbanas” contra ataques de mísseis russos.

Até que estas entregas cheguem, espera-se que os ataques sistemáticos às infra-estruturas energéticas continuem, forçando as pessoas em Kiev a improvisar.

Rússia acusa a Ucrânia por ataque

No domingo, o Kremlin acusou a Ucrânia de atacar a cidade de Sebastopol, na península da Crimeia ocupada pela Rússia, com cinco mísseis Atacms fornecidos pelos EUA, matando cinco pessoas e ferindo outras 100.

O Ministério da Defesa da Rússia disse que a Ucrânia atingiu “a infraestrutura da cidade de Sebastopol com mísseis táticos Atacms fornecidos pelos Estados Unidos e equipados com ogivas cluster”.

O Ministério da Defesa disse que os EUA, que forneceram à Ucrânia mísseis Atacms, foram os principais responsáveis ​​pelo ataque com mísseis e prometeram retaliar.

Acompanhe tudo sobre:RússiaUcrânia

Mais de Mundo

Ataque a Trump: "Ainda é cedo para dizer se atirador agiu sozinho", dizem autoridades

Trump se pronuncia após ser atingido na cabeça em comício na Pensilvânia

Biden se pronuncia sobre tiroteio no comício de Trump: "Estou grato em saber que ele está bem"

'Atentado contra Trump deve ser repudiado', diz Lula sobre tiros durante comício

Mais na Exame