Mundo

Trabalhadores da Samsung começam paralisação geral na Coreia do Sul

Fracasso nas negociações por aumento de salários levou ao movimento, que deve durar três dias

Samsung (Future Publishing / Colaborador/Getty Images)

Samsung (Future Publishing / Colaborador/Getty Images)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 8 de julho de 2024 às 07h01.

Os trabalhadores da gigante tecnológica sul-coreana Samsung iniciaram uma paralisação geral, nesta segunda-feira, anunciou Son Woo-mok, chefe do Sindicato Nacional da Samsung Electronics.

O sindicato, com cerca de 28 mil membros, mais de um quinto da força de trabalho da empresa, anunciou a paralisação de três dias na semana passada, após o fracasso das negociações salariais.

A administração da empresa, maior produtora mundial de chips de memória, está envolvida em negociações com o sindicato sobre salários e benefícios desde janeiro.

“Estamos numa encruzilhada crítica”, disse o sindicato numa mensagem a seus membros. “A greve é ​​a última carta que nos resta”, acrescentou, pedindo aos trabalhadores que “agissem como um só”.

Os trabalhadores rejeitaram a oferta de um aumento salarial de 5,1%. O sindicato também levantou demandas por aumentos de férias e bônus baseados no desempenho.

No mês de junho deste anojá havia ocorrido uma paralisação de um dia, considerada a primeira ação coletiva do tipo na empresa, que há décadas não tinha sindicatos. A Samsung não quis comentar o caso.

 

Acompanhe tudo sobre:SamsungGrevesJornada de trabalhoFábricas

Mais de Mundo

Eleições na França: país pode ter raro acordo chamado "coabitação"

Quem é Jean-Luc Mélenchon? Líder da esquerda na França comemora a vitória da Nova Frente Popular

Texas se prepara para a chegada da tempestade tropical Beryl

Chefe de comitê da Câmara dos EUA pede que médico divulgue diagnósticos de Biden

Mais na Exame